•  
     

Tudo Sobre Chaves

Tudo começou no ano de 1973, quando foram criados pela mesma pessoa os seriados El Chapulín Colorado e Chavo del Ocho, que passaram a se chamar aqui no Brasil como Chapolin Colorado e Chaves. Muitas pessoas hoje, dizem que Chapolin e Chaves são programas bregas, mal feitos e repetitivos. Chaves é um programa que para conseguir que nós demos gargalhadas, usam uma linguagem super simples, histórias divertidas, descomplicadas e personagens simples. Chaves é engraçado, só que sem apelar, como programas de baixo nível da Globo.


Quando se pensa em México logo se fala em Chaves, logo que este episódio fez um pouco mais de sucesso que o Chapolin. Passaram a ser criados episódios até 1983, onde começaram a aparecer os problemas. No começo do programa o criador de Chapolin e Chaves teve que bancar os custos referentes ao cenário e algumas coisas do programa também porque a Televiva (emissora onde começou a passar os programas do Chapolin e Chaves que é líder de audiência no México, assim como a inútil Rede Globo aqui no Brasil) não pagava os custos do programa, e como o criador não tinha muito dinheiro suficiente, teve que fazer os cenários com isopor (principalmente), cartolina e papelão. As cadeiras, janelas, pedras e pisos eram feitos de isopor, as paredes de papelão e os quadros de cartolina com armação de isopor.



Muitos adolescentes curtem chaves e chapolim desde que nasceram até hoje. Isso que é sucesso. Se não fossem sucessos, não estariam no SBT por quase 15 anos, mantendo uma média de 14 a 16 pontos. El Chavo Del Ocho (Em espanhol, que quer dizer chaves do oito), consegue atingir muitos pontos no Ibobe em todos os países da América Latina. No Peru atingem 28 pontos. Em 1973, ano de estreia dos seriados, chegou-se a atingir 60 pontos no ibope lá no México. Tanto sucesso não é a toa. Vai me dizer que você nunca riu com as aventuras do Chapolin, ou com as tontices do Quico? Quem não assiste chapolim e Chaves, está perdendo uma parte boa da vida.]
 
legal
 
valeu

V3rM3 Escreveu:legal
 
Bacana, acho que alguém queria saber disso. Algum cidadão, porém agora está morto.

Abraço!