•  
     

Tráfego na BR-282 pode ficar até cinco vezes mais intenso no feriadão

Os motoristas que irão viajar pela BR-282 no feriado de Corpus Christi, nesta quinta-feira, devem ficar atentos. Com a Festa Nacional do Pinhão, em Lages, Serra de SC, a rodovia que liga o Litoral à Serra Catarinense pode ser uma das mais movimentadas.

Na BR-282, segundo o inspetor João José Blomer, a previsão é de que o tráfego normal, que gira em torno de 12 mil veículos por dia, triplique ao longo de todo o feriadão e até quintuplique nas proximidades de Lages nas horas que antecedem a abertura dos portões do parque onde ocorre a Festa do Pinhão.

Além disso, a previsão de muito frio atrai gente que deve pegar a estrada em direção a Lages e cidades vizinhas como Urubici, São Joaquim, Urupema e Bom Jardim da Serra a fim de curtir o feriadão em um clima tipicamente europeu.

Por parte da Polícia Rodoviária Federal (PRF), que conta com dois postos no trecho de 220 quilômetros entre Florianópolis e Lages — um em Rancho Queimado e um em Lages —, a Operação Festa do Pinhão, que começou no dia 1º, vai coincidir com a Operação Corpus Christi.

As duas terminam à meia noite de domingo e consistem no aumento de estrutura e efetivo de policiais, inclusive os de folga, para fiscalizar e orientar o trânsito.

Na BR-101 a preocupação fica por conta dos trechos ainda em pista simples, já que nas partes duplicadas o movimento não deverá aumentar muito.

Confira os pontos mais críticos da BR-282, entre o Litoral e a Serra de SC, e as ocorrências que podem prejudicar o trânsito durante o feriado:

- Km 05 (Via Expressa, Florianópolis): congestionamento e acidentes.

- Km 10 (entroncamento com a BR-101, em Palhoça): congestionamento.

- Km 24 (trevo de Santo Amaro da Imperatriz): congestionamento.

- Km 68 ao 100 (Serra da _______ Vista, em Alfredo Wagner): curvas perigosas.

- Km 175 ao 181 (as curvas de Bocaina do Sul): risco de saída de pista e choque com as árvores ainda existentes às margens da rodovia.

- Km 201 (entroncamento com a SC-425, que dá acesso a Otacílio Costa e à BR-470): tráfego intenso de caminhões carregados.

- Km 204 (Morro dos Índios, em Lages): tráfego intenso de caminhões pesados e ausência da terceira pista numa subida de três quilômetros deixa o trânsito lento e resulta em ultrapassagens forçadas.

- Km 215 ao 220 (do Aeroporto ao Cemitério Parque da Saudade, em Lages): grandes obras nas marginais, semáforo, intenso trânsito local, passagem de pedestres e cruzamentos perigosos.

- Km 224 (entroncamento com a BR-116, em Lages): local de muitos acidentes.

* Km 232 (trevo de acesso ao Salto do Caveiras, em Lages): intensa entrada e saída de veículos.

Fonte: DIÁRIO CATARINENSE