•  
     

Suspeitos feridos no Alemão estavam em ataque a helicóptero, diz PM

Eles foram baleados depois de furarem o cerco da polícia na favela.
Além deles, um outro suspeito, que seria menor, foi detido.

Imagem Os dois homens baleados após furarem o cerco policial no entorno do Conjunto de Favelas do Alemão, na Penha, Zona Norte do Rio, estavam envolvidos na queda de um helicóptero da polícia ano passado no Morro dos Macacos, também na Zona Norte da cidade. As informações são da Polícia Militar.

Segundo a polícia, eles foram atingidos nas nádegas. Depois de atendidos no Hospital Getúlio Vargas, na Penha, foram levados para a 22 ª DP (Penha).

Um outro suspeito, que, de acordo com a polícia, seria menor, foi detido e também levado para a delegacia.

Os três homens, segundo policiais, teriam se recusado a parar após ordem policial na Rua Canita. Ainda de acordo com a polícia, os dois feridos estavam sem documentos.

Blitzes e revistas
Um dia após cerco no Alemão, policiais do Batalhão de Choque da Polícia Militar e homens do Exército fazem uma série de blitz e revistas. Além de pedestres, veículos de passeio, táxis e até caminhões de lixo são revistados. Nesta manhã é possível ouvir alguns tiros escassos no local.

No final da noite de sexta-feira (26), traficantes voltaram a atacar. Imagens gravadas por uma equipe da TV Globo mostram balas traçantes atravessando a comunidade. Os tiros atingiram a base onde estão abrigados os policiais militares do Batalhão de Choque da PM (BPChoque).

Assustados, muitos moradores se esconderam em vans para fugir da comunidade. As forças policiais, com apoio do Exército, bloqueiam os acessos ao Alemão. A polícia pode ocupar o conjunto de favelas a qualquer momento.

De acordo com o coronel Lima Castro, relações públicas da PM, desde domingo foram registrados 96 veículos incendiados, 48 armas, 8 granadas apreendidas, além de grande quantidade de drogas e material inflamável. Além disso, a PM informou que, até esta tarde, o número de presos era de 196.

Fonte: Globo