•  
     

Sem Kaká e Ganso, Mano aposta em meio-campo inédito

Preferência é pela velocidade de Lucas e Elias e pelo poder de criação de Hernanes e Renato Augusto

Mano Menezes vai estrear hoje contra a França um meio-campo inédito e que o próprio técnico adversário, Laurent Blanc, já admite: é superior em qualidade ao da França. Cumprindo à risca o projeto da CBF de renovar o grupo após fiasco no Mundial da África do Sul, o comandante brasileiro deve levar a campo os volantes ofensivos Lucas, Elias e Hernanes, além do armador Renato Augusto, revelado pelo Flamengo e atualmente no Bayer Leverkusen, considerado uma das maiores promessas no Campeonato Alemão, com apenas 20 anos de idade.

"Vou jogar na posição em que eu mais gosto, aberto pela direita, e espero contribuir com a seleção", afirmou Renato Augusto. "Espero que ele faça um bom jogo e que aproveite a oportunidade", enfatizou o treinador.

Mano, no entanto, admite que não está fácil encontrar um camisa 10, um grande nome que arme o jogo e crie oportunidades para os atacantes. Com Ramires e Ganso contundidos e Kaká ainda não recuperado totalmente, a opção do treinador deve ser a de apostar em um novo quarteto, mais técnico, mais leve e mais ofensivo do que as alternativas que Dunga havia levado para a Copa de 2010 e que acabou prejudicando a seleção. A esperança é de que a ligação entre o meio e o ataque com Alexandre Pato e Robinho, ambos do Milan, ganhe em agilidade.

Além do meio-campo inédito, a fase de testes parece continuar. Em cinco convocações, Mano chamou 47 jogadores diferentes. Apenas dez deles estiveram em todas elas. Para o jogo de hoje, o goleiro Julio Cesar, de 31 anos, e o zagueiro Luisão, de 29, ganham chance, depois de terem sido duas das peças-chave do esquema de Dunga. E os "veteranos" Robinho e Pato seguem com status de estrela.

Mas a ordem é buscar novas opções. Um dos destaques foi a inclusão do zagueiro Breno, do Bayern de Munique. David Luiz, que acaba de ser vendido por 24 milhões ao Chelsea, e Rafael, de 20 anos, titular do Manchester United em apenas seis meses de clube, seguem entre as apostas. Outro destaque que os europeus querem descobrir é o atacante André, do Bordeaux.

"O Brasil é uma equipe em construção e que tem muitos jovens. Mas já tem os melhores em cada posição", disse Blanc. "Não há em campo Kaká ou Ronaldinho Gaúcho. Mas dos 23 convocados conhecemos 15 deles muito bem. Mesmo que seja uma equipe em construção, ela está sendo erguida com qualidades individuais muito elevadas. Nós não estamos ainda no mesmo nível", comentou o francês. "O Brasil traz sempre uma geração nova e que é extraordinária. Não é por acaso que tem cinco estrelas na camisa", apontou. "A seleção tem hoje grandes promessas."