•  
     

Ronaldinho ironiza, caminha em direção ao vestiário do Grêmio e dispara: "Estão quietinhos"

Imagem

Ronaldinho carrega duas camisas do Grêmio e ironiza: "É para guardar de recordação"

A vitória do Atlético-MG sobre o Grêmio fez Ronaldinho Gaúcho se despedir do Olímpico - que será destruído em 2013 pois o time tricolor passará a jogar na Arena - comemorando. Após o 1 a 0, com linda jogada de Bernard, o camisa 49 foi em direção ao vestiário do Grêmio, ironizando a torcida que o vaiou o tempo todo. Já junto aos atleticanos gritou: "Estão todos quietinhos agora", se referindo aos torcedores.

A perseguição ao desafeto gremista ocorreu desde antes da bola rolar. Ronaldinho por vaiado, xingado, difamado de toda forma. Tanto que antes da partida uma faixa alusiva a Dona Miguelina, mãe do craque, foi retirada pela polícia das arquibancadas do Olímpico. Em campo, ele nada sentiu e foi jogou bem.

A ironia veio após a partida. Tão logo Paulo César Oliveira apitou o fim da partida, a comemoração do alvinegro teve nele a principal figura. Pulando muito ele, vibrou. Mais calmo, se encaminhava ao vestiário do Grêmio - que fica do lado oposto ao do visitante no Olímpico - e antes de entrar, ironicamente disse: "Ah, me enganei".

A ironia seguiu nas palavras ditas aos jornalistas. "Sempre gostei de vencer aqui. Da outra vez não venci, venci agora", disse. Com duas camisas do Grêmio nas mãos, ele brincou. "É para guardar de recordação", sorriu.

A maior provocação foi já no túnel que leva ao vestiário correto: do visitante. Entrando, Ronaldinho gritou: "Estão todos quietinhos agora", extravasando sentimento de vitória sobre o clube que o criou, mas que atualmente odeia.

Com um gol que lembrou os melhores momentos do meia, o Atlético-MG conquistou três pontos e chegou a liderança do Brasileirão. No lance, Bernard deu dois chapéus na sequência em seus marcadores e cruzou para Jô colocar na rede.

Ronaldinho Gaúcho é desafeto gremista pela maneira que se desligou em 2001, assinando com o PSG sem gerar lucro algum. Além de 2011, quando resolveu voltar para o Brasil, acertou com o time portoalegrense, e acabou preferindo atuar pelo Flamengo.