•  
     

Rebaixamento preocupa time do Santos.

Imagem

O Santos ainda tem 27 rodadas pela frente no Campeonato Brasileiro, mas a demora do time em emplacar na competição já acende o sinal de alerta na Vila Belmiro. Afinal, após onze jogos no Brasileirão, o Peixe ocupa a 15ª posição com 10 pontos, um à frente da zona de rebaixamento - encabeçada pela Portuguesa.

O cenário, de alguma forma, já preocupa o volante Arouca. O camisa 5 garantiu que a possibilidade de ver o Santos na Série B sequer passa pela cabeça dele e do próprio grupo. Mas admitiu que o momento é delicado, e que "não dá para brincar" na atual situação do time.
- Isso (rebaixamento) não passa pela minha cabeça, mas é lógico que não dá para brincar com essa situação. Todos nós jogadores sabemos disso, temos conversado bastante e, por isso, estamos nos esforçando ao máximo. Temos de dar a volta por cima - destacou o volante, em entrevista coletiva no CT Rei Pelé.

Apesar do mau momento, Arouca confia na reação santista. O volante reconheceu que o Peixe vive seu pior momento desde que chegou ao clube, em 2010, mas ressaltou que todo o elenco está incomodado com a atual situação, especialmente pela série de conquistas obtidas pelo Alvinegro desde então - três títulos paulistas, uma Copa do Brasil e uma Libertadores.

- É uma situação complicada. A falta de vitórias nos chateia bastante, porque o grupo é vencedor. Mas é preciso ter animo, trabalhar forte. Em nenhum momento temos deixado de correr. A vitória não está vindo, mas tem que ter paciência. Vivemos um momento de transição, com a vinda de novos jogadores - avaliou.

Atrás da reação no Brasileirão, o Santos volta a campo nesta quinta-feira, às 21 horas, contra o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Arouca alertou para os perigos do time mineiro - líder da competição com 28 pontos - e pediu marcação forte sobre as principais peças do Galo, como Ronaldinho Gaúcho e Bernard.

- Teremos de ter todos os cuidados possíveis, até porque se trata do líder, com um jogador acima da média (Ronaldinho) e o Bernard em uma fase excepcional. Mas não adianta ir para lá e só ficar observando. Temos que marcar forte e ser o Santos de sempre. Sabemos das dificuldades, ainda mais por ser fora de casa, mas temos que voltar a vencer - finalizou.