•  
     

Quem foi o faraó do Êxodo?

farao-do-exodo.jpg
 
Em Ex 1:8-11 diz que os hebreus "edificaram a Faraó cidades-armazéns, Pitom e Ramessés." Por isso Hollywood adotou Ramsés II como o faraó do êxodo. Mas a cidade de Pi-Ramesses foi ocupada muito tempo antes de Ramsés II e o nome "Raamses" foi encontrado na parede do túmulo de Amenhotep III, que foi faraó 100 anos antes de Ramessés II.

Em 1 Reis 6:1 diz que Salomão começou a construir o Templo no quarto ano de seu reinado, 480 anos após o êxodo. O quarto ano do reinado de Salomão foi 967 A.C. Assim calcula-se que o êxodo tenha ocorrido em 1447 A.C. (967 + 480). Ramessés II começou a reinar em cerca de 1290 A.C., portanto não podia ser o faraó do êxodo.

Há dois outros candidatos: Amenhotep II (1450-1425 A.C.), filho de Tutmés III (1490-1450). Pode ser um dos dois. Quando Moisés nasceu (80 anos antes do êxodo) o faraó era Tutmés I. Sua filha casou-se com um filho adotivo que assumiu como Tutmés II (mas quem mandava era a patroa).

Tutmés II estava no trono quando Moisés fugiu do Egito aos 40 anos de idade. O historiador hebreu Josefo escreveu que o faraó de quando Moisés fugiu do Egito morreu e um novo faraó tomou seu lugar. Tutmés III reinou ao lado da esposa de seu pai (que não era sua mãe). Quando ela morreu, Tutmés III mandou raspar todas as referências a ela nos monumentos. A data da saída dos hebreus do Egito coincide com a data da morte de Tutmés III. Pode ter morrido no mar e o fato de sua múmia existir hoje pode ser explicado pelo seguinte:

"Assim o Senhor, naquele dia, salvou Israel da mão dos egípcios; e Israel viu os egípcios mortos na praia do mar." Ex 14:30

Mas há também um estudo que diz que aquela múmia não é do faraó (substituíram para o enterro), pois não possui o DNA correto. Pode ser, pois seria uma desonra deixar de enterrar um faraó com todas as pompas. Alguns faraós não eram nem mesmo enterrados sozinhos. Em alguns casos todos os seus criados e até o arquiteto da tumba eram trancados lá para servi-lo no além.

Aqui há mais informações sobre o faraó do Êxodo.

Quando você olha para as descobertas científicas e arqueológicas, não deve enxergar tudo como estático, como se tudo já tivesse sido descoberto. Tente ler o Tesouro da Juventude edição 1955 (que é a que meu pai comprou para mim) e você vai ver quanta bobagem era mostrada lá como "ciência".

O mesmo ocorre com a arqueologia. Todos os dias há descobertas novas. Os céticos não crêem em Adão porque a arqueologia no estágio atual ainda não encontrou uma múmia sem umbigo.

A posição dos céticos me faz lembrar da velhinha no sertão do nordeste quando os netos a levaram para ver um helicóptero que tinha pousado no vilarejo. Quando ela viu o monstro e os netos explicaram que as pessoas iam entrar nele e aquilo ia subir voando, a velhinha não titubeou:

"E quem disse que essa coisa é capaz de subir?"

Não deu outra. O helicóptero ligou, acelerou e subiu. A velhinha não abandonou mesmo assim seu ceticismo.

"E quem disse que essa coisa é capaz de descer?"
 
A Bíblia NÃO diz o nome do Faraó do Êxodo (ou da fuga do Egito).
Alguns críticos querem acreditar que foi Ramsés II. Outros, dizem que foi bem antes, no tempo do Faraó Ahmose.
 
Bhiel Escreveu:A Bíblia NÃO diz o nome do Faraó do Êxodo (ou da fuga do Egito).
Alguns críticos querem acreditar que foi Ramsés II. Outros, dizem que foi bem antes, no tempo do Faraó Ahmose.


Esse vídeo afirma que foi Ahmose




Quem foi Ahmose?

Texto Wikipédia

Wikipédia Escreveu:Ahmés, Ahmose ou Amósis ("a Lua nasceu") foi o primeiro rei da XVIII dinastia egípcia, que inaugura um dos períodos mais famosos da história do Antigo Egipto conhecido como o Novo Império, onde se inserem personalidades como Hatchepsut, Amen-hotep III ou Akhenaton. Governou cerca de vinte e cinco anos, entre 1580 e 1558 a.C. ou entre 1550 e 1525 a.C. para outros historiadores.

Neto da rainha Teticheri, era filho de Taá II e da rainha Ah-hotep I. Sucedeu ao seu irmão mais velho Kamés (ou Kamósis) como rei de Tebas. Deveria ter cerca de dez anos quando se tornou rei, razão pela qual a sua mãe foi co-regente até Ahmés atingir os quinze ou dezasseis anos.

A região do Delta do Egipto tinha sido dominada desde 1640 a.C. pelos Hicsos, um povo de origem asiática, que chegaria a fundar uma dinastia. No sul do Egipto, em Tebas, uma dinastia nacional governaria a par da dinastia estrangeira. Os últimos soberanos desta dinastia (a XVII) decidiram combater os Hicsos com o objectivo de expulsá-los do território nacional. Ahmés continuou o trabalho que tinha sido começado pelo seu pai e irmão na expulsão daquele povo.

No ano 6 do seu reinado Ahmés tomou a cidade de Aváris, capital dos Hicsos. O seu exército não se contentou com este acto, tendo optado por penetrar na Palestina, onde durante três anos cercou a cidade de Charuhen, que acabaria por ser tomada pelos egípcios.

Depois de afastados os Hicsos, Ahmés teve que lidar com problemas a sul, na região da Núbia. Três campanhas militares levaram à submissão do reino de Kush, que tinha apoiado os Hicsos.

Ahmés foi casado com a sua irmã ou meia-irmã, a rainha Ahmés-Nefertari, umas das figuras femininas mais importantes da XVIII dinastia.

A actividade construtora do monarca centrou-se na região do Alto Egipto, em particular em Tebas. Em Abido ordenou a construção de um cenotáfio dedicado à sua avó. A actividade mineira no Sinai foi restabelecida (minas de turquesa), assim como os contactos comerciais com Biblos.

Desconhecem-se muitos pormenores do seu reinado devido à falta de documentos. Uma das fontes que melhor permite conhecer a actuação militar do rei é a biografia de Ahmés filho de Abana, um dos oficiais do seu exército.

Até hoje não foi identificado o seu túmulo, embora se saiba que a sua múmia foi colocada no chamado "esconderijo" de Deir el-Bahari, com o objectivo de evitar os assaltos dos saqueadores.

No livro Exôdo da Bíblia Ahmes aparece como irmão de Moisés que é o significado de Ahmés em Judeu



Fonte: http://pt.wikipedia.org/wiki/Ahm%C3%A9s
 
Depois eu vejo ! o video to com preguiça kk