•  
     

Primeiro teste olímpico deixa Brasil confiante e mostra fragilidade dos anfitriões da Olimpíada

Imagem
Jogadores da seleção agradecem torcida após vencer amistoso contra o Reino Unido por 2 a 0

A seis dias da estreia na Olimpíada de Londres, a seleção brasileira soube se impor frente ao Reino Unido e venceu por 2 a 0, gols de Sandro e Neymar. Foi o primeiro teste diante de uma equipe sub-23, já que nos amistosos anteriores o Brasil olímpico encarou o elenco principal de adversários tradicionais, casos de Argentina e México (derrotas por 4 a 3 e 2 a 0, respectivamente).


Na avaliação de Mano Menezes, o desempenho aumenta a confiança na busca pela inédita medalha de ouro. “Ando animado desde antes do jogo contra a Dinamarca”, comentou o treinador, citando a vitória por 3 a 1 sobre os europeus, na primeira partida da série de quatro amistosos em maio e junho.

O duelo com os anfitriões britânicos evidenciou a fragilidade de um selecionado que pintava como candidato ao pódio, já que é uma escola tradicional do futebol e atuará em casa na Olimpíada. Entretanto, esse grupo do Reino Unido nunca havia jogado junto antes – a última partida oficial do combinado de Inglaterra, País de Gales, Escócia e Irlanda do Norte ocorrera em 1971.

“A nossa equipe se moldou ao jogo e soube construiu o resultado. Não demos chances ao adversário, a não ser aquela defesa do Rafael, mas o jogador deles estava impedido”, opinou Mano Menezes.

“É impressionante a maturidade deles [jovens do Brasil]. É uma garotada que parece que tem 30 anos. A gente [maiores de 23] só entra para passar um pouco mais de tranquilidade nos momentos mais difíceis do jogo”, endossou o capitão Thiago Silva.

O Brasil está no Grupo C, ao lado de Egito, Belarus e Nova Zelândia. Se terminar em primeiro da chave, pode reencontrar a equipe do capitão Ryan Giggs na semifinal, caso o misto de Inglaterra e Gales (atletas de Escócia e Irlanda do Norte não foram convocados) liderem o Grupo A, chave na qual o Uruguai é favorito. Se ambos acabarem em segundo lugar, também podem duelar na semi.

“Foi uma boa preparação para nós”, ponderou Giggs, veterano galês de 37 anos. “Nós sabíamos que seria difícil, porque eles provavelmente estariam em vantagem na preparação física”, completou, em referência ao fato de os europeus desfrutarem das férias.
 
Essa seleção do Mano Menezes tem grande chance de conquistar o Hexa para nós.
O meu único medo é a Espanha!