•  
     

Premiê indicado da Itália, Enrico Letta quer iniciar diálogo sobre governo

Do Partido Democrático, ele foi indicado pelo presidente italiano.
Ele disse ser necessário o apoio de outros partidos para formar coalizão.


O recém-indicado primeiro-ministro da Itália, Enrico Letta, disse nesta quarta-feira (24) que vai iniciar as conversas para formar o governo na quinta-feira (25), mas afirmou ser necessário o apoio dos outros partidos e que o governo não será formado a qualquer custo, segundo a agência Reuters.
Logo depois de o presidente Giorgio Napolitano ter lhe dado o mandato para formar o governo no Palácio Quirinale, Letta afirmou que vai se concentrar no emprego e em ajudar os pequenos negócios, bem como nas tão necessárias reformas institucionais.


Imagem

O vice-líder do Partido Democrático afirmou que a União Europeia se concentrou muito em políticas de austeridade e que é preciso fazer mais para promover o crescimento econômico.
Pouco depois do anúncio, Enrico Letta afirmou que pedirá à União Europeia que "modifique a linha política de austeridade" porque a considera "insuficiente" para resolver a difícil situação econômica e social da Itália.
"Pedirei à União Europeia que modifique a linha política de excessiva atenção à austeridade, porque não é suficiente", declarou Letta.
Letta, menino prodígio da política italiana, ex-democrata-cristão, deve contar com o apoio de todas as forças políticas para acabar com dois meses de paralisação política, de acordo com a France Presse.