•  
     

PIT-BULL: UMA RAÇA PERIGOSA?

No meio de tanta polémica sobre os cães de combate, perigosos e outros que tais, cumpre esclarecer a história de sua criação. Impossível que seria falar da origem de todos, podemos falar das atitudes erradas para com uma destas raças "perigosas" e generalizar para todas as outras em termos do muito mal que se faz a nobres e fieis raças de cães. Não, não vamos falar do Rottweiler, o famoso cão de carniceiro ( ligado à condução de gado nos matadouros) mas de outro, igualmente mediático por razões erradas e muito mais sacrificado pelo ser humano, o Pit Bull.

Origem

Em 1835 o Parlamento Inglês declarou a luta de cães com touros ilegal e criminosa, contra a vontade dos talhantes da época que alegavam que estas lutas tornavam a carne bovina mais macia. O cão atacava o boi ficando pendurado no infeliz bovino até este cair exausto na arena. Grande mérito desta luta contra a crueldade deve-se á famosa sociedade inglesa de protecção aos animais a RSPCA, então nos seus primeiros passos.


om a proibição, os criadores que apreciavam a coragem, resistência e tenacidade dos bull-dogs, começaram através de selecção a criar um animal valente e agressivo com outros cães, com grande resistência a dor e ( poucas vezes referido), com grande apego e amor do pelo ser humano.

Esta nova raça foi um caso de sucesso dentre os muitos emigrantes para a América. Em 1898 foi o ano da fundação do United Kennel Club nos Estados Unidos e no mesmo ano o clube reconheceu a raça "Bull e Terrier" como o American Pit Bull Terrier (APBT).

A RCA usou a imagem de "Nipper" para ilustrar a clareza do som que vinha dos seus fonógrafos ( quem não se lembra dos célebres discos " His Master Voice") e a Lewis usou um APBT para demonstrar a resistência das suas calças jeans.

Responsabilidade

Os Bull Terriers, os American Staffordshire Terriers e os American Pit Bull Terriers devem ser (e na maioria são) criados por pessoas responsáveis e criteriosas. No entanto, nos últimos anos a venda sem controlo e criação desenfreada tornaram este animal uma vitima das características que tanta boa fama lhe tinham dado no passado.

Todos os cães tendo um comportamento dominante, só devem ser adquiridos por pessoas com experiência e capacidade de lidar com as suas atitudes. Não é racional adquirir um animal dominante para dar a crianças, jovens ou ainda ter um animal para o educar a ser agressivo como forma de intimidar outras pessoas.

Definitivamente não é a uma raça indicada para pessoas instáveis ou para aquelas que não têm tempo para se dedicar ao treinamento e a educação de seus cães. Igualmente não é um cão para se deixar á solta na rua hoje em dia devido à publicidade negativa.


O Mito

A designação Pit-Bull é na verdade um nome genérico que engloba cães resultantes de vários cruzamentos. Os criadores e proprietários podem ser divididos em 3 grupos:

Os media contribuem para a fama agressiva destas raças explorando com poucas e honrosas excepções, o lado sensacionalista das noticias sem se preocupar em ver mais além da superfície.

A Realidade

O Pit Bull bem criado é um cão pacífico, com instintos de guarda natural da sua família humana, um animal resistente e dedicado aos donos, tal como um Rottweiler, ou um Bull Terrier.

O futuro?

Afigura-se bem negro para esta raça e outras catalogadas de forma generalista como perigosas ou assassinas. Em países como a Alemanha e a França os donos de cães desta raça são ostracizados e muitos destes animais são espancados e envenenados pelos próprios vizinhos dos seus donos. O nosso país encontra-se a aprovar uma lei de regulação dos animais ditos perigosos, com muita subjectividade que implica riscos para os animais de muita gravidade, pois para o cão o maior risco é a morte e para o dono irresponsável, uma multa. Entretanto, aguarda-se uma lei clara e inequívoca para defender os animais maltratados.

Uma nota de esperança:

Após o atentado às Twin Towers, as companhias de aviação do Texas estabeleceram a presença de Air Marshalls com cães nos vôos comerciais. Os passageiros aplaudiram. Como sempre na linha da frente, o Pit Bull e o Rottweiler junto a crianças que os seus pais colocaram nas cadeiras mais próximas por segurança.


Artigos Generalistas
Artigos sobre Cães
mais sobre RSS Feeds?


É um especialista sobre este tema?
envie esta página a um amigo
adicione um comentário
imprimir este artigo

ARTIGOS RELACIONADOS
Cães agressivos?
Agressividade territorial: Raça não é factor primordial
Cães: Exigências Legais e Burocracias

Bookmark no site::
 
Preguiça de leer ;s

Maas eu acho uma raça perigosa !