•  
     

Parlamento grego aprova orçamento austero para 2011

O Parlamento da Grécia aprovou na madrugada desta quinta-feira o projeto de orçamento de 2011, que prevê cortes de 14 bilhões de euros para cumprir as rígidas condições impostas pela União Europeia (UE) e o Fundo Monetário Internacional (FMI) em troca da ajuda para sanear a economia do país.
Após cinco dias de debates, o texto foi aprovado pela maioria dos 156 deputados do Partido Socialista (PASOK, no poder), enquanto os representantes do Partido Nova Democracia (ND, direita), do Partido Comunista (KKE), da esquerda radical (Syriza) e da extrema direita (LAOS) votaram contra, ou seja, 142 votos. Dois deputados não compareceram à votação.
A Grécia, que passa por uma grave crise orçamentária há um ano, aprovou há alguns meses um plano de recuperação da economia sob as condições exigidas pela UE e o FMI em troca de um empréstimo de 110 bilhões de euros, em três anos, para salvar o país da falência.
Com o plano, o governo socialista se viu obrigado a adotar medidas estritas de austeridade para reduzir em seis pontos o grande déficit público, que em 2009 alcançou 15,4% do Produto Interno Bruto (PIB).
O primeiro-ministro George Papandreu afirmou aos deputados que está decidido a executar as reformas necessárias para tirar o país da crise.
"Apesar das dificuldades, sou otimista, a Grécia não vai quebrar", disse Papandreu no Parlamento, antes de lembrar que "sem a ajuda do mecanismo europeu, o país teria afundado". Apesar dos protestos, a austeridade deve prosseguir em 2011 para reduzir o déficit público a 7,4%, de acordo com o orçamento aprovado.

Font:TERRA