•  
     

Pai de bebê que caiu de prédio foi negligente, diz delegada

A delegada adjunta da 24ª Delegacia de Polícia (Piedade) Renata Araújo, que autou o pai da menina de 6 meses que morreu ao cair do sétimo andar de um prédio nesta terça-feira, no Rio de Janeiro, afirmou acreditar que ele foi negligente.

"O pai foi negligente. Ele contou que estava com a menina ao colo quando aconteceu o suposto acidente", disse a delegada. "A menina, segundo ele, teria dado um solavanco e caiu entre a grade e a tela de proteção, que estaria _______ no momento da queda. Tudo indica que foi um acidente, mas ele será autuado por fato análogo a homicídio culposo, pois não teve a intenção de matar, e ficará à disposição da Justiça."

Segundo a delegada, no entanto, ainda é prematuro apontar culpados, bem como as possíveis causas da queda do bebê. Peritos do Instituto de Criminalística Carlos Éboli (ICCE) estiveram no local e constataram falhas na rede de proteção.

A menina Maria Luiza Cosenza chegou a ser levada para o Hospital Salgado Filho, mas não resistiu aos ferimentos. A mãe da criança, uma adolescente de 16 anos, estaria na cozinha no momento da queda.

Ela ficou em estado de choque e foi amparada por familiares. O casal teria mudado há dois meses para o apartamento. A casa onde moravam, no Andaraí, teria sido alvo de um incêndio.

Os pais da criança estão juntos há dois anos. Após cerca de cinco horas de depoimentos, o pai da menina foi autuado. O adolescente foi encaminhado à Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), onde ficará à disposição do Ministério Público e da Vara da Infância e da Adolescência.