•  
     

Os atletas do ano

Prêmio Brasil Olímpico exalta jovens e consagra Fabiana Murer e Murilor

Ela, campeã mundial indoor e vencedora da Diamond League. Ele, ouro na Liga e no Mundial, eleito melhor jogador nas duas competições. Fabiana Murer, do salto com vara, e Murilo, do vôlei, foram consagrados como melhores atletas do Brasil em 2010 e receberam, nesta segunda-feira, o Prêmio Brasil Olímpico, no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro.

Imagem

Em uma cerimônia que ressaltou, em vários momentos, a geração que deve disputar os Jogos Olímpicos de 2016, Murilo e Fabiana saíram com os troféus mais importantes da noite desta segunda-feira após votação que combinou votos populares com os de um júri composto por jornalistas e personalidades do esporte. Murilo deixou para trás os outros dois indicados: Cesar Cielo, da natação, e Leandro Guilheiro, do judô. Fabiana superou Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, e a dupla de vôlei de praia Juliana e Larissa.

- Foi um sonho e nunca imaginei que fosse acontecer. Fiquei sabendo que o Cielo tinha votado em mim. Nervoso eu não estava, mas fora do meu ambiente. Eu não sabia que um dia chegaria até aqui. Queria dedicar o prêmio para a minha esposa Jaqueline, que faz parte da vida pessoal e profissional. Estou representando o grupo do Brasil. A gente venceu pela nona vez a Liga Mundial, superando os oito títulos da Itália, e igualou o tri mundial da Itália da década de 90. O Brasil vem sendo o país do voleibol - disse Murilo.

- É um troféu que vale muito. As outras (atletas) também mereciam muito. Foi um ano muito importante pelas conquistas, e ser premiada é muito legal, uma honra. É bom saber que todo meu esforço, minha batalha deu resultado e que as pessoas acompanharam, torceram e gostaram do que eu fiz. Na hora que foram anunciar, eu estava muito nervosa - lembrou Fabiana.

Políticos abrem a cerimônia

Muito antes de Murilo e Fabiana Murer, o palco do MAM recebeu o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, o governador do estado, Sérgio Cabral, e o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva. Os quatro deram início à cerimônia, discursando um por um.

Imagem

Na história do esporte, o que Vossa Excelência fez pelo Brasil, principalmente na conquista da sede dos Jogos Olímpicos de 2016, ultrapassou qualquer fronteira, e todos são seus fãs. O senhor continuará conosco na Rio/2016 porque o senhor é intimamente ligado a todos nós. Contamos consigo durante toda essa caminhada. O senhor é o presidente que mais fez pelo esporte na história da república - disse Nuzman para Lula.

Lula, que falou depois de Paes, do ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, e de Cabral - todos homenageados pelo COB -, quebrou o protocolo e disse que, se puder, vai até competir em 2016.

- Podem contar comigo. Não sei se vai ter modalidade de terceira idade. Se tiver, estou com 65, mas com esforço físico de um jovem de 30. Estamos comemorando a vitória do profissionalismo. Jogamos fora o complexo de vira-lata que Nelson Rodrigues tanto dizia que nós tínhamos. Resolvemos ser cidadãos e cidadãs com o direito de fazer a Olimpíada no Brasil - disse Lula, defendendo a tese de que a palavra gasto não pode ser usada na gestão pública do esporte.

A premiação então começou, com os melhores de cada uma das 47 modalidades recebendo seus troféus. Aplaudido de pé, Eder Jofre foi agraciado com o Troféu Adhemar Ferreira da Silva. O ex-boxeador, que comemorou este ano o 50º aniversário do primeiro título mundial brasileiro na modalidade, se emocionou e ficou sem palavras no palanque.

Imagem

Seguindo o tema da noite, várias promessas do esporte e destaques das Olimpíadas Escolares e Universitárias subiram ao palco para receberem prêmios. Até as atrações musicais foram de acordo. Gabriel, o Pensador, escreveu um premiado livro para jovens. Toni Garrido, por sua vez, tem um projeto social para adolescentes.

Bernardinho e Élson Miranda foram agraciados como melhores técnicos de 2010. O primeiro, em esportes coletivos, por liderar a seleção masculina de vôlei. O segundo, treinador de Fabiana Murer, ganhou na categoria esportes individuais. Daniel Dias e Edênia Garcia foram premiados como melhores atletas paraolímpicos.

Os melhores de 2010 no Brasil em cada modalidade

20/12/2010 22h44 - Atualizado em 20/12/2010 23h30
Prêmio Brasil Olímpico exalta jovens e consagra Fabiana Murer e Murilo
Como em 2009, cerimônia ressalta os Jogos de 2016, no Rio de Janeiro

Por GLOBOESPORTE.COM Rio de Janeiro
imprimir

Ela, campeã mundial indoor e vencedora da Diamond League. Ele, ouro na Liga e no Mundial, eleito melhor jogador nas duas competições. Fabiana Murer, do salto com vara, e Murilo, do vôlei, foram consagrados como melhores atletas do Brasil em 2010 e receberam, nesta segunda-feira, o Prêmio Brasil Olímpico, no Museu de Arte Moderna (MAM), no Rio de Janeiro.
Fabiana Murer e Murilo levam os prêmios de atletas do anoFabiana Murer e Murilo posam com os troféus de atleta do ano do Prêmio Brasil Olímpico ao lado do presidente do COB, Carlos Arthur Nuzman (Foto: Alexandre Durão / GLOBOESPORTE.COM)

Em uma cerimônia que ressaltou, em vários momentos, a geração que deve disputar os Jogos Olímpicos de 2016, Murilo e Fabiana saíram com os troféus mais importantes da noite desta segunda-feira após votação que combinou votos populares com os de um júri composto por jornalistas e personalidades do esporte. Murilo deixou para trás os outros dois indicados: Cesar Cielo, da natação, e Leandro Guilheiro, do judô. Fabiana superou Ana Marcela Cunha, da maratona aquática, e a dupla de vôlei de praia Juliana e Larissa.

- Foi um sonho e nunca imaginei que fosse acontecer. Fiquei sabendo que o Cielo tinha votado em mim. Nervoso eu não estava, mas fora do meu ambiente. Eu não sabia que um dia chegaria até aqui. Queria dedicar o prêmio para a minha esposa Jaqueline, que faz parte da vida pessoal e profissional. Estou representando o grupo do Brasil. A gente venceu pela nona vez a Liga Mundial, superando os oito títulos da Itália, e igualou o tri mundial da Itália da década de 90. O Brasil vem sendo o país do voleibol - disse Murilo.

- É um troféu que vale muito. As outras (atletas) também mereciam muito. Foi um ano muito importante pelas conquistas, e ser premiada é muito legal, uma honra. É bom saber que todo meu esforço, minha batalha deu resultado e que as pessoas acompanharam, torceram e gostaram do que eu fiz. Na hora que foram anunciar, eu estava muito nervosa - lembrou Fabiana.

Políticos abrem a cerimônia

Muito antes de Murilo e Fabiana Murer, o palco do MAM recebeu o presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB), Carlos Arthur Nuzman, o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes, o governador do estado, Sérgio Cabral, e o presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva. Os quatro deram início à cerimônia, discursando um por um.
Lula, Orlando Silva, Sergio Cabral e Eduardo Paes recebem prêmio Orlando Silva, Sergio Cabral, Lula, Carlos Arthur Nuzmen e Eduardo Paes no palco (Foto: Alexandre Durão)

- Na história do esporte, o que Vossa Excelência fez pelo Brasil, principalmente na conquista da sede dos Jogos Olímpicos de 2016, ultrapassou qualquer fronteira, e todos são seus fãs. O senhor continuará conosco na Rio/2016 porque o senhor é intimamente ligado a todos nós. Contamos consigo durante toda essa caminhada. O senhor é o presidente que mais fez pelo esporte na história da república - disse Nuzman para Lula.

Lula, que falou depois de Paes, do ministro do Esporte, Orlando Silva Júnior, e de Cabral - todos homenageados pelo COB -, quebrou o protocolo e disse que, se puder, vai até competir em 2016.

- Podem contar comigo. Não sei se vai ter modalidade de terceira idade. Se tiver, estou com 65, mas com esforço físico de um jovem de 30. Estamos comemorando a vitória do profissionalismo. Jogamos fora o complexo de vira-lata que Nelson Rodrigues tanto dizia que nós tínhamos. Resolvemos ser cidadãos e cidadãs com o direito de fazer a Olimpíada no Brasil - disse Lula, defendendo a tese de que a palavra gasto não pode ser usada na gestão pública do esporte.

Confira galeria com imagens do Prêmio Brasil Olímpico

A premiação então começou, com os melhores de cada uma das 47 modalidades recebendo seus troféus. Aplaudido de pé, Eder Jofre foi agraciado com o Troféu Adhemar Ferreira da Silva. O ex-boxeador, que comemorou este ano o 50º aniversário do primeiro título mundial brasileiro na modalidade, se emocionou e ficou sem palavras no palanque.
Eder Jofre ganha o Troféu Ademar FerreiraEder Jofre e o Troféu Adhemar Ferreira, entregue por João Havelange (Foto: Marcelo de Jesus)

Seguindo o tema da noite, várias promessas do esporte e destaques das Olimpíadas Escolares e Universitárias subiram ao palco para receberem prêmios. Até as atrações musicais foram de acordo. Gabriel, o Pensador, escreveu um premiado livro para jovens. Toni Garrido, por sua vez, tem um projeto social para adolescentes.

Bernardinho e Élson Miranda foram agraciados como melhores técnicos de 2010. O primeiro, em esportes coletivos, por liderar a seleção masculina de vôlei. O segundo, treinador de Fabiana Murer, ganhou na categoria esportes individuais. Daniel Dias e Edênia Garcia foram premiados como melhores atletas paraolímpicos.

Os melhores de 2010 no Brasil em cada modalidade

Atletismo – Fabiana Murer
Badminton – Daniel Paiola
Basquete – Tiago Spliter
Boliche – Roberta Rodrigues
Boxe – Roseli Feitosa
Canoagem Slalom – Silvia Gnadt
Canoagem Velocidade – Nivalter Santos
Ciclismo BMX – Mayara Perez
Ciclismo Estrada – Rafael de Matos Andriato
Ciclismo Moutain Bike – Rubens Donizete de Valeriano
Ciclismo Pista – Janildes Fernandes
Desportos na Neve – Mirlene Picin
Desportos no Gelo – Fabiana Alves dos Santos
Esgrima – Cleia Guilhon
Esqui Aquático – Marcelo Giardi
Futebol – Paulo Henrique “Ganso”
Futsal – Alessandro Rosa Vieira (Falcão)
Ginástica Artística – Jade Barbosa
Ginástica Trampolim – Daienne Lima
Ginástica Rítmica – Angélica Kvieczynski
Handebol – Alexandra Nascimento
Hipismo Adestramento – Luiza Almeida
Hipismo CCE – Ruy Fonseca
Hipismo Saltos – Rodrigo Pessoa
Hóquei sobre Grama – Daniel Tatara
Judô – Mayra Aguiar
Karatê – Douglas Brose
Levantamento de Peso – Fernando Reis
Luta – Joice Silva
Maratona Aquática – Ana Marcela Cunha
Natação – Cesar Cielo
Natação Sincronizada – Equipe de natação sincronizada
Patinação Artística – Juliana Almeida
Pentatlo Moderno – Yane Marques
Polo Aquático – Luiza Carvalho
Remo – Fabiana Beltrame
Saltos Ornamentais – César Castro
Squash – Rafael Alarcon
Taekwondo – Marcio Wenceslau
Tênis – Thomaz Bellucci
Tênis de Mesa – Gustavo Tsuboi
Tiro com Arco – Bernardo Oliveira
Tiro Esportivo – Felipe Wu
Triatlo – Reinaldo Colucci
Vela - Bruno Prada e Robert Scheidt (Classe Star)
Vôlei de Praia – Juliana e Larissa
Vôlei – seleção adulta masculina de vôlei

Fonte: Globo