•  
     

Os anos ocultos de Jesus.

Imagem


O que Jesus fez dos seus 12 aos seus 30 anos?

Por que a Igreja esconde a verdadeira história de Jesus?

Quem, entre cristãos e não cristãos, já não se perguntou como foi a vida, a educação e a formação filosófica de Jesus dos 12 aos 30 anos? A Bíblia não informa nada sobre a vida dele durante esse período.

Apenas falam dos seus 12 aos onde ele revela sua sabedoria, depois desse episódio só há registros, no Novo Testamento, do que ocorreu três anos antes de ele morrer na cruz.


Essa lacuna, porém, é preenchida com documentos importantes, como os evangelhos apócrifos (ocultos, secretos), que narram histórias sobre a vida de Jesus, escritas por seus contemporâneos, a exemplo do de Tomé, e que foram desprezados ao longo dos séculos pelos líderes das religiões cristãs, que os consideravam uma heresia.

A igreja catolica só aceita como autênticos os quatro evangelhos atribuídos a Mateus, Lucas, Marcos e João. A escolha foi feita em votação acirrada no Concílio de Nicéia, no ano 325 da Era Cristã.

Os manuscritos do Mar Morto

Outra fonte de informação importante e reveladora sobre a adolescência de Jesus são os pergaminhos gnósticos.

Esses documentos, achados no Egito, em 1945, reunem os ensinamentos que Jesus teria passado a alguns de seus seguidores, membros da seita essênica, que buscava o conhecimento completo e transcendental de tudo o que existe no nosso mundo.

Estudos na Palestina, India e Tibete

Em 1947, foram achados seis manuscritos em uma caverna perto do Mar Morto, em Qumram, na Jordânia.

Segundo cientistas que os examinaram , eles foram escritos pelos essênios, povo místico que viveu entre 2 a.C e 2 d.C, na Palestina.

Em 1950, o arqueólogo inglês Lankester Harding, diretor do Departamento Jordaniano de Antiguidades, publicou um texto sobre o teor desses manuscritos.

Segundo Harding, a revelação mais surpreendente é a da semelhança entre os preceitos dos essênios e os ensinamentos que Jesus viria difundir mais tarde.

Bem antes dessas descobertas, Harvey Spencer Lewis, líder da Antiga e Mística Ordem Rosacruz nas Américas, já afirmava a origem essênica de Jesus.

Harvey diz que Jesus foi educado em um colégio localizado no Monte Carmelo, na Palestina. Depois disso, ele começou a estudar profundamente as antigas religões e diversas seitas que influenciaram o desenvolvimento da civilização moderna.

Para isso, foi para a índia e o Tibete, onde conviveu durante alguns anos com sábios budistas.

Iniciação em pirâmide do Egito

Ao deixar a Índia, Jesus teria viajado para a Pérsia (atual Irã) onde esteve em colégio de magos.

Spencer conta ainda que Jesus foi à Grécia e ao Egito, onde teria sido iniciado nos mistérios da Grande Fraternidade Branca, obtendo o título de mestre, numa cerimônia realizada nas câmaras secretas da pirâmide de Quéops.

Depois, já com 30 anos, ele voltou à Palestina, onde foi batizado por João. Foi no momento dessa cerimônia, típica da tradição essênica que, dizem, o Espírito Santo desceu sobre ele em forma de luz intensa e, em seguida, de uma luminosa pombra branca.

Foi assim então, que ele se tornou o Cristo, o Messias, o Deus entre os homens.

Andei lendo isso na revista super interessante.

Comente, de sua opinião de por que a Igreja esconderia a verdadeira história de Jesus Cristo.
 
nossa eu nao sei pq a Igreja esconderia a verdadeira de Jesus mas tipo.....
ningeum sabe nada sobre Jesus na verdade o que de 100% que todos sabem
é que ele é filho de DEUS
 
yes

filho de deus


quem contraria tem que respeitar a religião né