•  
     

Obras no Estádio Nacional de Brasília estão em ritmo bom

Na série sobre as sedes da Copa das Confederações em 2013, o Bom Dia Brasil visitou Brasília. As obras no estádio do Distrito Federal estão em um ritmo bom.

O dono de uma cooperativa Fernando de Figueiredo mal pode esperar pelo ano da Copa. Para ele, 2014 também marca o fim de uma dívida com a Justiça. “A Copa começa, a pena acaba e eu vou começar uma nova vida sem nem sonhar com mais nada errado”, espera.

São, ao todo, 19 anos de prisão por roubo e furto. Cumprindo pena em regime aberto, Fernando trabalha em parceria com o Estádio Nacional de Brasília, que vai receber sete jogos do Mundial e a abertura da Copa das Confederações, em 2013.

A previsão é de que o estádio fique pronto em dezembro de 2012. Até lá, cada pedaço de madeira descartado na construção da arena será doado para a cooperativa de reciclagem, coordenada pelo Fernando. “Isso, para nós, é ouro”, destaca.

A cooperativa emprega 60 pessoas que têm ou tiveram problemas com a Justiça, drogas e álcool. É um projeto de inclusão social. A produção da cooperativa dobrou com as obras do estádio.

São toneladas de madeira que chegam em caminhões quase todos os dias. Além de pagar os salários, o dinheiro da reciclagem fortaleceu outra produção da cooperativa.

Antes de reciclar madeira, a cooperativa já fabricava bolas de futebol, futsal ou vôlei. Com tantas encomendas, o estoque está sempre cheio. De todas elas, só uma não está à venda: a bola autografada por Pelé. Essa é guardada como um troféu na cooperativa.

Mas cada bola que fica pronta também é motivo de orgulho. “Quando eu vejo uma pessoa jogando bola com uma bola que eu fiz, fico orgulhoso”, comenta o funcionário da cooperativa Mauro Cardoso.

Uma dessas bolas já fez a alegria dos operários do Estádio Nacional.