•  
     

Motorista atropela homem e só percebe quando encontra corpo dentro do carro

A polícia de São Paulo investiga um acidente acontecido no sábado (21), quando um motorista disse ter percebido que atropelou um pedestre apenas quando chegou em casa e encontrou o corpo da vítima, já morta, dentro do carro. Segundo a polícia, o motorista chamou o resgate.

"É um caso inusitado, mas não totalmente impossível", diz o delegado titular do 87º Distrito Policial, onde o caso foi registrado, Pietrantonio Minichillo de Araújo. A vítima não foi identificada.

O motorista seguia pela Avenida Raimundo Pereira de Magalhães, na altura da Avenida Otaviano Alves de Lima, por volta das 6h20 de sábado (21).

Segundo a polícia, ele afirmou que tentou desviar quando uma pessoa surgiu subitamente na via, tendo sentido um forte impacto na frente do carro, além de estilhaços no vidro traseiro. O motorista ainda teria olhado pelo retrovisor e não visto nada, nem mesmo a vítima no chão.

De acordo com a polícia, o homem relatou que é comum que ladrões joguem pedras e tijolos nos carros na região onde aconteceu o acidente, para que os motoristas parem e sejam roubados. Por isso, ele seguiu para casa. Segundo informações do boletim de ocorrência, ele encontrou, com a ajuda de um vizinho, o corpo entre o banco traseiro e o banco do passageiro do carro.

"Estamos esperando o resultado da perícia, que deve comprovar com a ajuda de um físico, se preciso, a possibilidade do corpo ter entrado no carro após o atropelamento", explica o delegado. Ele também conta que o relato de uma testemunha, já ouvida pela polícia, deve ajudar no esclarecimento do caso.

A testemunha ligou para a polícia após ter visto o atropelamento e afirmou que o pedestre entrou na via sem olhar para os lados. Segundo o delegado, ela disse que o motorista diminuiu a velocidade e tentou desviar, e que depois do choque não foi possível mais ver o corpo da vítima.

O caso foi registrado como homicídio culposo, quando não há intenção de matar, e já foi instaurado inquérito. Além da perícia, também foi feito um exame de dosagem alcoólica do motorista.

Dúvida

O delegado espera o trabalho da perícia para saber se existe a possibilidade do corpo ter entrado no carro com a batida.

"Pela minha experiência, isso pode ter acontecido. Também pelo relato da testemunha, que não tem nenhum vínculo com o motorista, e ligou para a polícia espontaneamente. Junto com o relato todo da história, do motorista, só se a perícia negar a possibilidade que vamos pensar em outra linha", afirma o delegado.

fonte:http://www.gazetadopovo.com.br