Você é contra?

Contra
7
88%
A Favor
1
13%
 
Total de votos: 8

  •  
     

Legalização da maconha

A campanha pela legalização da cânabis ganhou força a partir das décadas de 1980 e 1990, notadamente apoiada por artistas e políticos liberais. No Brasil, foi uma das bandeiras do político Fernando Gabeira, que tentou implementar o cultivo do cânhamo para fins industriais.
O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, que é membro da Comissão Latino-americana de Drogas e Democracia, apoia a descriminalização da posse de pequenas quantidades para uso pessoal da maconha e afirma que a repressão como é feita resulta num aumento de violência e consumo. Mesmo assim, defende que devem-se criar mecanismos que desestimulem o uso das drogas.
Em 2010, Bo Mathiasen, representante do Escritório das Nações Unidas sobre Drogas e Crimes (UNODC) afirmou que a descriminalização não reduziria a força do crime organizado, pois este não existe em função da droga.
No Brasil, não existe mais a pena de prisão ou reclusão para o consumo, armazenamento ou posse de pequena quantidade de drogas para uso pessoal, inclusive maconha. Também não há pena de prisão para quem "para seu consumo pessoal, semeia, cultiva ou colhe plantas destinadas à preparação de pequena quantidade de substância" capaz de causar dependência (inclusive a cannabis sativa). O artigo 28 da lei nº 11.343/2006, de 23 de agosto de 2006 prevê novas penas para os usuários de drogas. As penas previstas são:
Advertência sobre os efeitos das drogas;
Prestação de serviços à comunidade ou
Medida educativa de comparecimento a programa ou curso educativo.
A mesma lei (artigo 28, 2º) estabelece o critério para o juiz avaliar se uma quantidade se destina ao consumo ou não. O juiz deve considerar os seguintes fatores: o tipo de droga (natureza), a quantidade apreendida, o local e as condições envolvidas na apreensão, as circunstâncias pessoais e sociais, a conduta e os antecedentes do usuário. Apesar do critério ser subjetivo e depender da interpretação do juiz, não há dúvida de que um ou dois cigarros de maconha, por exemplo, representam uma quantidade destinada ao consumo pessoal.


Créditos: Wikipédia
 
Mano, legalizando ou não.
A minha ja tá no bolso ! Quero ver quem vai tirar de mim ! xD
 
Mano eu rachei Votei errado danada kkkkkkkkkkkkkkkk
 
EU SOU CONTRA A LEGALIZAÇÃO , PREFIRO A DESCRIMILIZAÇÃO..

POVO BRASILEIRO NAO TEM CABEÇA PRA FUMAR MACONHA
 
Ares Escreveu:EU SOU CONTRA A LEGALIZAÇÃO , PREFIRO A DESCRIMILIZAÇÃO..

POVO BRASILEIRO NAO TEM CABEÇA PRA FUMAR MACONHA

PLENAMENTE!