•  
     

Justiça decreta prisão de mãe de bebê jogado em valão, diz delegado

Foi decretada na tarde desta terça-feira (22) a prisão temporária da mãe da criança que foi jogada em um valão em Queimados, na Baixada Fluminense, na semana passada. A informação foi confirmada pelo delegado titular da 55ª DP (Queimados), Niandro Ferreira Lima.

Segundo o delegado, a suspeita ficará presa temporariamente por 30 dias. Ela foi presa na própria delegacia, para onde tinha sido levada para prestar depoimento. Ela será encaminhada à Polinter de Magé, na Baixada Fluminense.

"Nosso próximo passo é comprovar ou desmentir a versão da suspeita. Vamos ouvir vizinhos e parentes para tentar descobrir informações sobre o pai da criança que ela fala na sua versão”, explicou Niandro Ferreira Lima.

Durante a manhã, a polícia encontrou a suspeita e a encaminhou à delegacia. Em depoimento, ela, que tem 25 anos, negou ter atirado o bebê da ponte e disse que o pai do menino tomou-lhe dos braços assim que ele nasceu.

Na delegacia, ela afirmou ainda que o pai do filho é casado e acompanhou o parto dentro de seu carro. Depois de ver o caso na TV, a suspeita disse não ter procurado a polícia porque estava sendo ameaçada pelo companheiro. Segundo policiais, no entanto, ela não soube dizer sobrenome nem endereço do pai do bebê.

De acordo com policiais do 24º BPM (Queimados), que foram até a sua casa após uma informação do Disque-Denúncia, a mãe, ao ver a polícia, chegou a negar tudo e dizer que havia operado um mioma. Só na delegacia ela admitiu que era mãe do menino jogado no valão. O caso está sendo investigado na 55ª DP (Queimados).

Bebê faz dieta do leite
O bebê, que ficou conhecido como Moisés, começou na segunda-feira (21) a se alimentar com leite. Embora ainda esteja no soro, ele, que está na UTI, já respira sem o auxílio de aparelhos e vem apresentando melhora.

De acordo com os médicos, o menino está estável, mas ainda precisa tomar antibióticos, já que contraiu uma infecção por ter ficado em contato com água de um valão onde havia esgoto. A previsão é de que ele ainda permaneça hospitalizado por mais 10 a 15 dias, até estar completamente recuperado.

O resgate
A criança foi resgatada por policiais e um vizinho, depois que uma testemunha avisou do episódio. Ao se lembrar dos momentos do resgate, o policial se emocionou.

"Ficamos andando de um lado para o outro, tentando avistar o bebê que a vizinha disse ter visto por perto, e nada. Uns 15 metros a frente, a gente escutou o choro da criança e corremos para resgatá-la. Ela chorava muito e estava presa naquela sujeira. Foi um galho de árvore que segurou o bebê naquela correnteza", contou ele.

Fonte: Globo
 
tem q prende tudo kkkkkkk