•  
     

Justiça adia uso da força contra ocupantes da USP

Os estudantes e funcionários da Universidade de São Paulo (USP) que ocupam a Reitoria ganharam mais 54 horas antes de a direção da instituição ter o direito de chamar a Polícia Militar para retirá-los à força. O acordo que prolonga a ocupação até as 23 horas de amanhã foi definido ontem em uma reunião na 9ª Vara da Fazenda Pública entre os representantes dos ocupantes e os da reitoria.

A reitoria se comprometeu ainda a religar água, luz e internet no prédio. Já os estudantes deverão limpá-lo e consertar os eventuais danos causados. Por fim, a Reitoria concordou em não punir administrativamente os alunos que compareceram na audiência.

A ordem de reintegração de posse do prédio da reitoria havia sido dada pela juíza Simone Gomes Rodrigues Cassoretti, a mesma que conduziu a audiência de conciliação, ontem. Ela mandou os estudante saírem da Reitoria - o prazo acabaria ontem, às 17h. Agora, se eles não saírem até as 23h de segunda-feira, a juíza poderá ordenar a retirada forçada pela PM.

O aumento do prazo deve servir para os alunos convocarem uma nova assembleia. No centro da discussão está o convênio assinado pela USP com a PM e o poder do reitor, João Grandino Rodas. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.
 
ridiculo essas caras achao que podem ficar fumando no meio da universidade policia tem que ficar la mesmo

e aprender se for necessario