•  
     

Hamilton se livra das confusões e vence o GP da Bélgica

Lewis Hamilton mostrou mais uma vez que tem a chamada "sorte de campeão". O inglês da McLaren escapou de todos eventuais problemas e venceu o GP da Bélgica deste domingo, em Spa-Francorchamps e reassumiu a liderança do Mundial de Pilotos da Fórmula 1. Mark Webber, da Red Bull, foi o segundo, apesar do problema na largada, e Robert Kubica, da Renault, completou em terceiro. Felipe Massa, da Ferrari, terminou em quarto e Rubens Barrichello, comemorando seu 300.º GP, abandonou com seu Williams!

Imagem

Com o resultado, passadas 13 das 19 etapas do Mundial da F-1, Hamilton chegou a 182 pontos, três a mais do que o vice-líder Webber. Sebastian Vettel, da Red Bull, não pontuou e segue com 151 pontos. Jenson Button, da McLaren, não completou e mantém a quarta posição no campeonato, com 147 pontos. Fernando Alonso, da Ferrari, também não completou e manteve os 141 pontos.

A próxima etapa da Fórmula 1 acontece dia 12 de setembro, em Monza, palco do GP da Itália.

Demais brasileiros. Bruno Senna, da HRT, depois de largar em 18.º, sua melhor posição de largada na carreira, abandonou logo no começo, com o carro quebrado. Lucas di Grassi fez grande corrida e terminou em 17.º com seu Virgin.

Rivais caindo. Na largada, já com alguns pingos caindo, Webber partiu mal e caiu do primeiro para o sexto lugar. Hamilton, assim, assumiu a ponta, com Kubica em segundo, Button em terceiro e Vettel em quarto. Massa ganhou uma colocação e terminou a primeira volta em quinto.

Mas antes mesmo do final da primeira passagem, por conta da fraca chuva que caia no trecho da Bus-Stop um outro rival de Hamilton na luta pelo título deu adeus à briga pela vitória em Spa. Muitos carros saíram da pista naquele trecho e, na confusão, Barrichello atingiu a Ferrari de Alonso. O espanhol ainda conseguiu seguir na corrida, mas o brasileiro encerrou por ali mesmo o seu 300.º GP.

A batida provocou a entrada do safety car por duas voltas, para a retirada dos detritos. Na relargada, Button conseguiu passar Kubica e assumiu o segundo lugar, com Hamilton tranquilo na frente. Na volta seguinte, com melhor rendimento, Vettel fez ousada manobra e também passou pelo polonês, que ainda jogou o alemão na grama.

Tentando estragar a dobradinha da McLaren, Vettel passou a pressionar bastante Button na briga pelo segundo lugar. Na volta 18, ao se aproximar de mais da traseira do inglês, o alemão perdeu o controle do carro na Bus-Stop, rodou e atingiu o atual campeão, que acabou abandonando. O piloto da Red Bull ainda conseguiu se arrastar até o box para trocar o bico e seguir na prova.

Neste momento, a ameaça da chuva foi praticamente afastada, com o sol aparecendo poucas voltas depois. Mas a tranquilidade dos pilotos durou apenas até a 35.ª, quando a água voltou a cair em Spa.

Já com a pista bastante molhada, Hamilton deu uma bela escapa. Mas o inglês, passando pela brita, conseguiu se livrar do atoleiro e voltar à pista ainda em primeiro lugar.

Ainda na volta 35, quase todos os pilotos já estavam nos boxes para colocar pneus intermediários, que mais tarde se mostrariam insuficientes para a chuva que caiu momentos depois.

Hamilton, Kubica, Webber e Massa, o quatro primeiros no momento, pararam ao final da volta 35 para trocar os pneus. Os quatro voltaram na frente, apenas com Webber superando Kubica na parada.

Na volta 37, a pista molhada fez mais uma vítima. Desta vez Alonso rodou sozinho, bateu de leve na barreira, mas acabou abandonando com a suspensão quebrada. O carro parado no meio da pista provocou a entrada do safety car.

A relargada foi dada faltando apenas quatro voltas para o final, com a pista bastante molhada, mas com os primeiros colocados ainda com pneus intermediários.

Apesar da luta sobre o piso molhado nas voltas finais, o primeiros colocados evitaram se arriscar de mais e mantiveram as respectivas posições, com Hamilton na frente, ganhando a sua terceira corrida no ano.

Classificação do GP da Bélgica:
1.° - Lewis Hamilton (ING/McLaren), 44 voltas em 1h29min04s268
2.° - Mark Webber (AUS/Red Bull), a 1s5
3.° - Robert Kubica (POL/Renault), a 3s4
4.° - Felipe Massa (BRA/Ferrari), a 8s2
5.° - Adrian Sutil (ALE/Force India), a 9s
6.° - Nico Rosberg (ALE/Mercedes), a 12s3
7.° - Michael Schumacher (ALE/Mercedes), a 15s5
8.° - Kamui Kobayashi (JAP/Sauber), a 16s6
9.° - Vitaly Petrov (RUS/Renault), a 23s8
10.° - Jaime Alguersuari (ESP/Toro Rosso), a 29s4
11.° - Vitantonio Liuzzi (ITA/Force India), a 34s8
12.° - Pedro de la Rosa (ESP/Sauber), a 36s
13.° - Sebastien Buemi (SUI/Toro Rosso), a 39s8
14.° - Nico Hulkenberg (ALE/Williams), a 1 volta
15.° - Sebastian Vettel (ALE/Red Bull), a 1 volta
16.° - Heikki Kovalainen (FIN/Lotus), a 1 volta
17.° - Lucas Di Grassi (BRA/Virgin), a 1 volta
18.° - Timo Glock (ALE/Virgin), a 1 volta
19.° - Jarno Trulli (ITA/Lotus), a 1 volta
20.° - Sakon Yamamoto (JAP/HRT), a 2 voltas

Não completaram
21.° - Fernando Alonso (ESP/Ferrari)
22.° - Jenson Button (ING/McLaren)
23.° - Bruno Senna (BRA/HRT)
24.° - Rubens Barrichello (BRA/Williams)