•  
     

Fim Da Mibr

Para aqueles que usam nick ou falam que são da mibr, ela não existe mais faz tempo.

Rio de Janeiro, 14 de março de 2012

O Made in Brazil vem a público, através deste comunicado, por respeito aos fãs e à comunidade brasileira, confirmar oficialmente que a organização não tem planos de patrocinar equipes de Counter-Strike 1.6 e de mais nenhuma outra modalidade de esportes eletrônicos, permanecendo, por tempo indeterminado, em inatividade. Foram oito anos contribuindo intensamente para o desenvolvimento do CS nacional, levando a bandeira do Brasil para todos os cantos do mundo, da América do Sul à Ásia.

Também estamos encerrando as atividades do website, que nos últimos anos se tornou uma referência em informação.


ORGANIZAÇÃO

O Made in Brazil surgiu em 2003 no Rio de Janeiro, por iniciativa do empresário Paulo Velloso, que decidiu investir na equipe de Counter-Strike de seu filho. O time deu certo e passou a contar com os melhores jogadores em atividade no país. O sonho de qualquer um era jogar no MIBR, pois a equipe era o ponto mais alto que um jogador poderia chegar na carreira. Poucos conseguiram. O mais importante é que o MIBR levou o CS brasileiro ao conhecimento do mundo, consolidando o país como uma das potências nos esportes eletrônicos.

O MIBR terá seu nome eternamente marcado na história do Counter-Strike nacional e internacional. É o único time brasileiro (e também sul-americano) campeão da Electronic Sports World Cup (2006), competição considerada a Copa do Mundo dos esportes eletrônicos. Por aqui passaram os melhores jogadores do Brasil, que conquistaram outros títulos importantes como shgOpen 2007, DreamHack Winter 2007 e GameGune 2008.

Foi no MIBR que se destacou Raphael Camargo, popularmente conhecido por cogu, escolhido, em enquete realizada pelo portal europeu HLTV.org em 2010, como o melhor jogador da história da América do Sul. E mais: terminou em 2º lugar na votação de melhor AWP da última década em todo o mundo, em uma disputa apertadíssima com o sueco Dennis “walle” Wallenberg. Não é a toa que cogu sempre foi o principal representante do MIBR, pois partiu da cabeça dele a ideia da line-up que conquistou o título mundial de 2006. Também se dedicou ao time como nenhum outro foi capaz.

O único título mundial do Brasil no CS foi conquistado também por Bruno Ono, Lincoln Lau, Carlos Henrique Segal e Renato Nakano. Do Made in Brazil, o nosso muito obrigado.

Em seus oito anos de Counter-Strike competitivo, cada jogador deixou sua importante marca. Por isso, gostaríamos de agradecer os serviços prestados de Alan Diego "adr" Riveros, Lucas "banz" Breves, Bruno "bit" Lima, Bruno "bruno" Ono, Jonas "bsl" Alsaker Vikan, Fillipe "bt0" Moreno, Thiago "BTT" Monteiro, Olavo “chucky” Napoleão, Raphael "cogu" Camargo, Eduardo "Corassa" Corassa, Tiago ”dctr'” Rodrigues, Bruno "drd" Spellanzon, Eduardo “eduzin” Chagas, Ola "elemeNt" Moum, Lincoln "fnx" Lau, Alexandre “Gaules” Bochi, Jorge “Jorginho” Elias, Carlos Henrique "KIKOOOO" Segal, Norberto “Lance” Lage, Lucas "Luc4s", Renato "nak" Nakano, Camilo “m1llo” Serão, Pedro "Maluk3" Campos, Marcelo "marc" Carvalho, Jean Michel "mch" D'Oliveira, Rafael “pava” Pavanelli, Arthur "prd" Resende, Rafael “pred” Velloso, Frederico "RedFox" Bernardes, Rodrigo "ro" de Souza, Thiago "Rumbel" Grotz, Guilherme "skape" Mazie, Renan "Small" Correa, Guilherme "spacca" Spacca, Welington "ton" Caruso, Johan "vesslan" Ryman, Carlos "viol" de Paula e Marcus "xed" Pais. Vocês construíram essa história de sucesso, que nunca mais será apagada.

SITE

Nos últimos anos, quando adquiriu características de um portal de notícias, tendo time ou não, o site do MIBR passou a ser uma referência, competindo com o principal site do gênero no país. Conseguimos isso porque sempre buscamos inovar. Fomos os primeiros a usar o sistema CoverItLive, a entrar no Twitter, a entrar no Facebook e a usar as redes sociais para interagir com a comunidade, como por exemplo, com a hashtag #mibr, que poderia ser usada para exprimir comentários durante as nossas coberturas e unir as pessoas em torno de um interesse comum. O Orkut do MIBR foi o maior no segmento, com cerca de 40 mil participantes. Foi do MIBR também que partiu a ideia de usar o Facebook no sistema de comentários do site.

No MIBR, primamos sempre pela matéria bem escrita, explicada e com o máximo de informações possível. Em várias oportunidades, noticiamos acontecimentos em primeira mão, que repercutiram nos demais portais nacionais e internacionais. Além de sempre buscar o _____ e realmente trabalhar como um site jornalístico e não como um meio de divulgação de interesses, MIBR.com.br destacou-se pelas coberturas. Nosso ponto forte. Foi durante os principais eventos nacionais e internacionais que o site recebeu o maior número de acessos. O público sabia que aqui encontraria resultados e informações atualizadas.

É justamente por não poder manter o site em alto nível que optamos por fechá-lo. Sempre foi muito difícil encontrar pessoas capacitadas para atender o alto padrão do site do MIBR e por isso ele sempre foi mantido pelas mesmas pessoas. Porém, o tempo passa, e no momento isso não é mais possível.

A sensação é de dever cumprido. Além de ter informado o público sobre todos os acontecimentos do cenário de Counter-Strike, estivemos presentes em seis campeonatos nacionais nos últimos dois anos. Nossos vídeos no canal do Youtube estão perto de atingir um milhão de visualizações. Um sucesso. Sucesso que foi conquistado devido ao trabalho que desenvolvemos. E graças ao nosso público, que nos acompanhou durante todos esses anos.


MIBR.TV

Um projeto criado em 2007, que voltou renovado em 2010. Sob o comando de Luis Felipe “savage” Hessel e Renato “rent” Vaz, a MIBR.TV sempre primou pela qualidade. Sem recursos, mas com muita dedicação, fizemos um trabalho do qual nos orgulhamos.
Milhares de pessoas assistiram à MIBR.TV nas diversas transmissões que realizamos, muitas delas durante a madrugada, sem descanso, sempre levando ao espectador a melhor informação. Nosso objetivo era realmente fazer a cobertura dos campeonatos e não somente de algumas partidas. Por isso, firmamos um compromisso com o público, que esperava ansiosamente pelas nossas vinhetas de abertura. Aliás, fizemos um magnífico trabalho de design, criando uma identidade própria. A identidade do trabalho duro para uma transmissão cada vez mais responsável, informativa e profissional.
À todos que trabalharam neste projeto, o nosso muito obrigado.

PÚBLICO

Gostaríamos de agradecer a toda a comunidade que nos acompanhou durante esses anos, que reconheceu o MIBR como um time de excelência, significado de vitória. Nem sempre isso foi possível, e nossa torcida esteve presente nos piores momentos pelos quais passamos, seja criticando ou apoiando. Reconhecíamos as críticas como uma demonstração de carinho por aquela que é a maior organização de Counter-Strike que o Brasil já teve. Os elogios serviam para mostrar que estávamos no caminho certo e que o trabalho estava produzindo resultados satisfatórios.

Quantas noites em claro para assistir o MIBR jogar, para ver os brasileiros representando as cores verde-e-amarelo contra as principais equipes do mundo.
Ao público que criticou, elogiou, sugeriu, enfim... verdadeiramente torceu, o nosso muito obrigado.


Não desistimos, não falimos, não perdemos. É apenas o fim de um ciclo. Um ciclo vitorioso. Mas pode não ser um adeus, talvez somente um até logo.

Do campeão mundial, OBRIGADO!

http://www.mibr.com.br/

fonte: MIBR 2003-2011 - All Rights Reserved
 
Isso é mentira '-'
 
NEM LI ESSA TRANQUERA KKKKKKKKKKKKKKK
MUITA COISA