•  
     

Falta de dedicação nos estudos fez corintiano Romarinho ser dispensado da base do São Paulo

Imagem
Romarinho, autor de gols contra Palmeiras e Boca, já passou na base do São Paulo

O atacante corintiano Romarinho é daqueles que perambularam muito à procura de um clube onde pudesse se estabilizar na categoria de base e ter uma chance no time profssional. E ele teve essa oportunidade justo em um arquirrival do clube alvinegro, mas foi dispensado por não gostar dos estudos.

Entre os 9 e 11 anos, o avante passou pela categoria dente de leite do São Paulo. Mas foi dispensado pelo clube por não estar se dedicando na escola.

“No São Paulo era assim. Tinha que ter isso [dedicação nos estudos]. E ele não gostava de estudar. Acabou saindo de lá por isso. Foi essa a explicação que deram”, contou o irmão do jogador, Ronaldo da Silva, ao UOL Esporte. “Ele sempre gostou de jogar bola. Ele deixava de ir pra escola e matava aula pra jogar bola”, continuou.

O fato ocorrido foi há pelo menos uma década. A atual coordenação das categorias de base do São Paulo e os profissionais da época não confirmaram e nem desmentiram a dispensa de Romarinho por falta de dedicação nos estudos, mas disseram que fatos como esse são normais no futebol e que a política do clube visa uma boa performance escolar dos garotos da base.

“O Romarinho esteve com a gente lá mesmo. Lembro dele, era muito novo e passou com 9 ou 11 anos. Mas não lembro os motivos de sua saída. Não sei mesmo. Se eu falar que ele foi dispensado por motivo escolar ou parte técnica, vou estar mentindo. Não posso falar. Mas o São Paulo já dispensou jogadores que não se dedicaram aos estudos”, falou Marcos Vizolli, que comandou a base do São Paulo no período em que o corintiano passou por lá.

“Não sei [sobre esse caso], mas pode ter acontecido. O clube tem uma responsabilidade social muito grande. Mas a nota na escola não pode ser a razão definitiva [de um jogador ter ou não sucesso na base]. O campo tem um peso maior”, falou Renê Simões, diretor técnico do clube.

“Mas isso [de o jogador ser dispensado na base] é algo absolutamente normal. O Ronaldo não ficou no Flamengo, o Pelé não foi para o Vasco. É tanta gente que passa nas categorias de base de um clube, que não dá. Se você for pegar todos os jogadores que já passaram aqui, tem muitos. Isso é normal. Às vezes o cara não se adapta aqui, mas se adapta melhor em outro lugar. Tem que se entender isso com muita tranquilidade”, continuou.
 
Cá entre nós?
Esse Corinthians tem um rabo imenso viradão pra Lua.