•  
     

Em saída, Galeano diz ter certeza de que Palmeiras se livra da queda

Imagem

Coordenador técnico do time decidiu acompanhar Felipão e também deixou o Palmeiras
Foto: Mauro Horita/Terra


Após o gerente de futebol César Sampaio confirmar a saída de Galeano na noite da última sexta-feira, o Palmeiras anunciou oficialmente neste sábado o pedido de demissão do agora ex-coordenador técnico do time, que preferiu acompanhar Felipão e Murtosa. No adeus, o ex-jogador agradeceu ao clube e esbanjou confiança na luta da equipe contra o rebaixamento no Campeonato Brasileiro.

"Agradeço ao Palmeiras por ter me dado a oportunidade de voltar a trabalhar no clube onde me formei e conquistei minhas maiores glórias no futebol. Fui vencedor aqui como jogador e saio honrado por ter conquistado também um título como membro da comissão técnica", comentou Galeano, lembrando da Copa do Brasil deste ano.
"Continuarei torcendo pelo sucesso da equipe e tenho certeza de que o time sairá desta situação ruim no Campeonato Brasileiro", afirmou ao site do Palmeiras.
Galeano era homem de confiança de Felipão e não via mais clima para trabalhar no clube sem o técnico. No Palmeiras desde abril de 2010, o ex-jogador raramente aparecia na imprensa. A importância do seu trabalho era questionada por opositores.
Como atleta, ele defendeu o clube de 1989 a 1992 e de 1996 a 2002. Disputou 474 jogos (244 vitórias, 118 empates e 112 derrotas) e marcou 25 gols. Ele conquistou o Paulista de 1996, a Copa do Brasil de 1998, a Copa Mercosul de 1998, a Copa Libertadores de 1999, o Rio-São Paulo de 2000 e a Copa dos Campeões de 2000.