•  
     

Delator diz que sacou dinheiro para outra ONG de pedetista

O delator do esquema de desvio de recursos do programa Segundo Tempo do Ministério do Esporte, Geraldo Nascimento, envolveu mais uma ONG conveniada com o Ministério do Trabalho às supostas fraudes. De acordo com ele, representantes da Fundação Oscar Rudge, dirigida por uma pedetista, também teriam recebido dinheiro desviado dos contratos com o governo.

Nesta terça-feira o iG revelou que a direção da Confederação Nacional dos Evangélicos (Conae) é vinculada ao PDT. Com isso, a Oscar Rudge é a segunda ONG ligada ao partido trabalhista e conveniada com o Ministério do Trabalho suspeita de irregularidades.

“A Oscar Rudge eu fui lá no Rio de Janeiro sacar dinheiro, sai de Brasília às 5h da manhã, cheguei no Rio de Janeiro às 9h. Às 11h saquei, às 14h estava de volta. Fazia esse percurso, ia num dia e voltava do Rio de Janeiro para sacar dinheiro para esse povo. Saques altos”, disse o delator numa gravação a qual o iG teve acesso.

A reportagem tenta contato com a Fundação desde a semana passada, mas não obteve retorno até o fechamento desta matéria. A Oscar Rudge é sediada no Rio de Janeiro e presidida por Clemilce Carvalho. Filiada ao PDT desde 2005, ela tentou uma vaga na Câmara Federal em 2006, quando seu correligionário e atual Ministro do Trabalho, Carlos Lupi, concorreu ao governo fluminense. Os dois foram derrotados nas eleições.

No convênio com o Ministério do Trabalho, firmado em 2007, a ONG recebeu R$ 8,1 milhões para promover qualificação profissional de jovens no Rio de Janeiro. Para fornecer lanches aos alunos do projeto, a entidade contratou por R$ 1 milhão a JG Alimentos Preparados, sediada em Brasília.

A empresa tem como sócio o próprio delator Nascimento, e é acusada pelo Ministério Público de ter sido criada somente para a prática de atos criminosos, “notadamente (para) o fornecimento de notas fiscais inidôneas – ‘frias’ - para serem utilizadas na comprovação do suposto cumprimento dos objetos dos Convênios”.

A contratação da JG se deu por meio de pregão de menor preço. Quem também participou do certame, e ficou em segundo lugar, foi a Transnutri Alimentos e Transportes LTDA. Segundo Nascimento, a Transnutri também fazia parte do esquema montado para o desvio de recursos públicos.

Em relação à prestação de contas da entidade, o Ministério do Trabalho informou ao iG que toda a documentação comprovando a realização dos cursos foi entregue à pasta. Disse também que as metas de contratação de jovens formados foram batidas.

“No âmbito do Programa Nacional de Estímulo ao Primeiro Emprego foi firmado com a Fundação Oscar Rudge, convênio nº 065/2007 para a execução da ação - Consórcio Social da Juventude. Foi disponibilizada a meta para qualificação de 4.500 jovens. Foram efetivamente qualificados 4.191 jovens, e comprovada meta de inserção de 1.494 jovens no mundo do trabalho. A Prestação de Contas Final foi analisada e aprovada, à luz da documentação apresentada pela Fundação ao MTE. Portanto, a situação da Fundação perante o MTE, até a presente data, está regular”.