•  
     

Cristiano Ronaldo calou os críticos e Portugal está nos "quartos"

Cristiano Ronaldo, com uma exibição memorável, "bisou" e afastou a Holanda do Europeu. Portugal vai defrontar a República Checa nos quartos de final. Alemanha também está apurada.



Imagem


Portugal está nos quartos de final do Euro 2012, depois de uma exibição e vitória memorável sobre a Holanda, por 2-1, em Cracóvia, que teve o melhor Cristiano Ronaldo ao serviço da seleção nacional. E, também, o melhor de Nani, Moutinho, Pepe, Veloso, Bruno Alves (...) e Paulo Bento, que liderou a seleção nacional a uma tremenda exibição, que por si só já justificaria a presença nos "quartos", onde Portugal vai defrontar a República Checa. A Alemanha também fez a sua parte, ao derrotar a Dinamarca por 2-1, e vai medir forças com a Grécia de Fernando Santos.
Talvez determinado em responder aos críticos, talvez decidido a "calar" os gritos por Messi, quiçá inspirado pelo aniversário do seu filho, a quem dedicou os golos. Certo é que Cristiano Ronaldo fez uma exibição magnífica, que foi capaz de superar as adversidades ditadas pelo (grande) golo madrugador da Holanda, apontado por van der Vaart, logo aos 11 minutos, numa altura em que Portugal parecia estar a ser totalmente dominado. Mas tudo mudou.
O CR7 começou por atirar uma bola ao ferro, mas este estava destinado a ser "o jogo" do capitão da seleção nacional. Depois de várias tentativas, Ronaldo conseguiu chegar ao golo aos 28 minutos, na sequência de um excelente passe de João Pereira, que colocou Ronaldo na cara do golo. O extremo empatou o jogo e Portugal nunca mais esteve virtualmente afastado do Europeu. A Holanda, essa, não honrou os antepassados que formaram a "laranja mecânica" e pouco ou nada conseguiu incomodar Rui Patrício.
Portugal ainda teve que sofrer até "matar" as contas, mas não foi por causa do perigo criado da Holanda. Foi, isso sim, devido às inúmeras oportunidades desperdiçadas, que poderiam ter sentenciado cedo a partida, mas Postiga, Nani, Coentrão e Moutinho não estavam de pontaria afinada. Mas Ronaldo sim, ele que finalizou uma excelente assistência de Nani aos 74', com frieza e perícia, e abriu em definitivo as portas dos "quartos". Nota, também, para a incrível exibição de Nani, que só não poderia ser eleito como o melhor em campo porque os golos decisivos são de CR7 - eleito o melhor em campo pela UEFA, claro.
A Holanda ainda esteve perto do empate (van der Vaart rematou ao ferro), mas o apuramento estava mais que sentenciado, até porque por essa altura já a Alemanha vencia a Dinamarca por 2-1. A "laranja mecânica", pela primeira vez na história, despede-se de um Europeu sem pontuar, enquanto Ronaldo, que ainda viu o poste negar-lhe o "hat-trick", tornou-se no terceiro melhor marcador português de sempre, com 34 golos, apenas superado por Eusébio e Pauleta. É, também, o único português a marcar em cinco competições de seleções seguidas. E depois da exibição de hoje, os adeptos portugueses só poderão esperar algo ainda melhor. Ou, simplesmente, Ronaldo no seu estado puro.
 
quando ele quer, ele joga....

joga muito, só perde pro mito messi mesmo