•  
     

Cristiano Ronaldo aponta Espanha como favorita à Euro: "Poderiam fazer duas seleções"

Imagem
Cristiano Ronaldo busca primeiro título com a camisa da seleção portuguesa
Portugal poderia ser considerada uma das candidatas ao título da Euro-2012. Afinal, a seleção conta com Cristiano Ronaldo, um dos melhores jogadores do mundo e dono de uma espetacular média de gols pelo Real Madrid. Contudo, o próprio jogador prefere a cautela quando o assunto é a conquista do inédito título. Em entrevista ao jornal Marca Brasil desta quinta-feira, o camisa sete diz acreditar em sua equipe mas aponta a vizinha Espanha como principal favorito ao título da competição que será disputada na Ucrânia e Polônia.
"Se eu tivesse uma mala cheia de dinheiro, talvez apostasse na Espanha. Por que não? Não serei hipócrita. Também apostaria em Portugal, caso contrário, nem mesmo viajaria para a competição".

Segundo Ronaldo, a explicação para o favoritismo da Espanha está na maior oferta que o país hispânico possui. "A Espanha é um país de 50 milhões de habitantes. Tem mais jogadores, o melhor campeonato do mundo no qual jogam os melhores jogadores. O que Portugal não tem é isso, tantas possibilidades".

E nem mesmo a ausência de jogadores chaves como Puyol e Villa parecem prejudicar os atuais campeões do mundo. "Os dois jogadores com certeza farão falta, mas outros jogadores irão substituí-los e irão jogar bem, pois a Espanha tem um grupo de bons jogadores. Vicente del Bosque pode fazer duas seleções e brigar pelo título com as duas", completou o jogador que desde 2009 atua no Real Madrid.
Prestes a disputar sua terceira Euro, Ronaldo tem como melhor resultado o vice campeonato de 2004, ano que perdeu a final em casa para a Grécia. Pela seleção, o astro está longe da média que ostenta no Madrid. São 32 gols em 88 jogos com a camisa portuguesa, números muito inferiores aos 147 gols em 144 jogos com a camisa merengue. E na Ucrânia e Polônia, Portugal não terá vida fácil. No grupo da morte, os portugueses estreiam contra a Alemanha e encaram na sequência Dinamarca e Holanda.

"Estou muito otimista. Temos bons jogadores, todos com muita vontade de vencer. As condições são fenomenais. Não somos favoritos e isso tira muito a pressão. Temos que fazer bonito dentro de campo", finalizou o jogador de 27 anos.
Imagem