•  
     

Criminoso nazista mais procurado do mundo pode ter sido achado em Budapeste

O criminoso nazista mais procurado do mundo, Ladislaus Csizsik-Csatary, também conhecido como László Csatáry, 97, pode ter sido encontrado em Budapeste, na Hungria. Ele é acusado de ter participado da morte de mais de 15 mil judeus durante a Segunda Guerra Mundial (1939-45).

"Confirmo que Laszlo Csatary foi identificado em Budapeste", anunciou neste domingo (15) o diretor do escritório do Centro Wiesenthal em Israel, Efraim Zuroff, às agências internacionais de notícias.

“Sabíamos que era ele desde setembro, e o [tabloide britânico] ‘The Sun’ o fotografou graças à informações que lhe passamos”, disse o diretor da organização que se dedica à busca de nazistas.

Na edição deste domingo (15), o tabloide britânico traz uma suposta entrevista realizada com o criminoso.

As informações sobre o paradeiro de Csatary foram enviadas em setembro de 2011 à promotoria da capital húngara, segundo Zuroff. O vice-procurador de Budapeste, Jen Varga, não confirmou a informação, limitando-se a declarar que "existe uma investigação em andamento. A promotoria está estudando as informações recebidas."

Criminoso de guerra mais procurado do mundo
Em abril, o Centro Wiesenthal colocou Csatary no topo da lista dos criminosos de guerra mais procurados do mundo.
Imagem
Homem identificado como Laszlo Csatary, em foto publicada pelo tabloide britânico "The Sun"

Ele foi chefe da polícia no gueto de Kosice, situado no território da atual Eslováquia, onde 15.700 judeus foram assassinados ou deportados para o campo de extermínio de Auschwitz (Polônia) durante a ocupação alemã da então Tchecoslováquia.

Csatary foi condenado à morte à revelia em 1948, por um tribunal tcheco. Durante o processo, sua defesa negou as acusações e admitiu responsabilidade parcial na “segregação” dos judeus, e em ter entregado dois judeus a autoridades alemãs sem saber qual seria seu destino, segundo o “Sun”.

Ele desapareceu misteriosamente após se esconder nas cidades canadenses de Montreal e Toronto. Posteriormente, com uma identidade falsa, dedicou-se a comercializar objetos de arte.

Em 1997, as autoridades canadenses descobriram a verdadeira identidade de Csatary e cassaram sua cidadania. Ele sumiu novamente, dessa vez escondendo-se na Hungria, segundo Zuroff.

Informante ganhou US$ 25 mil
Segundo o diretor do Centro Wiesenthal em Israel, as informações sobre o atual paradeiro de Csatary foram dadas por um informante em troca de dinheiro.

"Há 10 meses, um informante nos deu elementos que nos permitiram localizar Laszlo Csatary em Budapeste. Este informante recebeu US$ 25 mil, que prometemos em troca de informações que permitam encontrar criminosos nazistas", disse Zuroff.
 
Nem deve ter apanhado esse manolo aê! KKK
Bem feito, quem mandou ser nazista.
 
KKKKKKKK Mano ele e velho apanho nada os cara prendeu e so falo se vai morrer na cadeia HUSSHUSHSU'.

PORQUE SE BATE NELE ele morre hsushsushsu'