•  
     

Corinthians retorna ao Mundial; veja quem já está classificado

Imagem

Com o inédito título da Taça Libertadores garantido, o Corinthians confirmou na noite desta quarta-feira presença no Mundial de Clubes da Fifa, em dezembro.

O torneio não é uma novidade para os corintianos, que vão participar pela segunda vez. Agora, o time paulista entra no torneio credenciado com o título sul-americano, já que na vez anterior participou como representante do país-sede, em 2000.

O Mundial de Clubes será disputado entre 6 e 16 de dezembro no sistema eliminatório (primeira fase, quartas de final, semifinal e final), além da definição de quinto e terceiro.

Assim como no ano passado, o Japão vai sediar o Mundial, com jogos nas cidades de Toyota e Yokohama. É a 31ª vez que o país asiático recebe o torneio --seis sob organização da Fifa e outras 25, entre 1980 e 2004.

Os representantes da América do Sul e da Europa iniciam na semifinal e só podem se encontrar na final (se triunfarem) ou na decisão de terceiro lugar (se perderem).

Além do Corinthians, outros três participantes já garantiram vaga: Auckland City (Nova Zelândia), Chelsea (Inglaterra) e Monterrey (México).

Os representantes da África e da Ásia vão ser conhecidos no início do novembro. A equipe do país-sede sairá somente no início de dezembro.

Imagem
O goleiro do Coritnhians, Cassio Ramos, comemora o título na Libertadores

CLASSIFICADOS

Dos clubes já classificados, o mais conhecido é o Chelsea. Em maio, o time inglês sagrou-se campeão pela primeira vez da Copa dos Campeões ao derrotar o alemão Bayern de Munique nos pênaltis.

Assim como o Corinthians teve de superar a inexperiência e um rival tradicional na final da Libertadores (o Boca Juniors somava seis títulos), o Chelsea jogou sua segunda final de Copa dos Campeões e superou o tetracampeão europeu.

Antes, o time eliminou o Barcelona, campeão anterior, na semifinal. Passou ainda pelo Benfica (quartas de final) e Napoli (oitavas). Na fase de grupos, foi o primeiro em uma chave com Bayer Leverkusen, Valencia e Genk. Na campanha, foram sete vitórias, quatro empates e duas derrotas, com 25 gols marcados e 12 sofridos.

O atacante Didier Drogba, que já deixou o clube para atuar no futebol chinês, foi um dos nomes do título. O meio-campista Frank Lampard, 34, no Chelsea desde 2001, e o zagueiro John Terry, 31, desde 2000 no clube, foram outros destaques.

Além deles, os brasileiros Ramires (volante) e David Luiz (zagueiro), ambos titulares, também foram nomes importantes na campanha do título. O primeiro não jogou a final, mas foi um dos responsáveis pela classificação ante o Barcelona.

Imagem
Jogadores do Bayern de Munique ficam desolados após derrota para o Chelsea

Outro participante é o Monterrey, que jogará o Mundial de Clubes pela segunda vez. No ano passado, o time mexicano foi eliminado nas quartas de final pelo Kashiwa Reysol e terminou o torneio na quinta colocação ao derrotar o Esperánce por 3 a 2.

Neste ano, o time volta ao Mundial como bicampeão. Superou o Santos Laguna na final da Liga dos Campeões da Concacaf. Fez 12 jogos, com oito vitórias, um empate e três derrotas. Marcou 25 gols e sofreu nove.

O Auckland City é o mais novo entre os participantes, com oito anos, mas vai disputar o torneio pela quarta vez. É o mais presente no Mundial desde que a Fifa passou a organizar o torneio e abriu vaga para outros continentes.

Na campanha do título continental, teve seis vitórias, um empate e uma derrota. Marcou 20 gols e sofreu nove. No entanto, o clube tetracampeão da Oceania nunca passou das quartas de final do Mundial. Foi sexto (2006), quinto (2009) e sétimo colocado (2011).
Imagem

MUNDIAL-2000

Em 2000, quando fez sua primeira e única participação, o Corinthians entrou como representante do país-sede por ser campeão brasileiro. Na ocasião, a Fifa organizou pela primeira vez o torneio e convidou os campeões continentais de todas as confederações.

Naquele ano, a final do Mundial foi brasileira --entre Corinthians e Vasco--, algo inédito até hoje. Foi também a edição com mais participantes: oito.

O formato também era diferente. Divididos em dois grupos com quatro equipes, os campeões de cada chave fizeram a final. Os segundos melhores disputaram o terceiro lugar --o mexicano Necaxa venceu o espanhol Real Madrid nos pênaltis.
Imagem