•  
     

Contaminação do solo fez piso de casa aquecer até 80ºC, em Maceió

O acúmulo de matéria orgânica e a contaminação do solo e da água foram os fatores apontados como responsáveis pelo superaquecimento do piso de uma casa localizada na Rua Marquês de Pombal, no bairro de Ponta Grossa, em Maceió. Um laudo do Instituto do Meio Ambiente, divulgado na manhã desta sexta-feira (20), atesta que os resultados das análises do material coletado comprovam que o vazamento de esgotos e fossas na região estão provocando uma reação química que libera calor.
O fenômeno, que foi sentido há cerca de duas semanas, intrigou especialistas e atiçou a curiosidade da população, quando os donos da casa revelaram que a temperatura do solo chegava a 80 graus Celsius.
A análise foi realizada por químicos, biólogos, engenheiros-químicos e geólogos do IMA e da Universidade Federal (Ufal). Em laboratório ficou constatada a presença de gás Sulfídrico em uma quantidade 400 vezes superior ao normal e uma grande quantidade de coliformes fecais, o que indica a contaminação do solo por esgotos e fossas da região. "Este gás se forma a partir de uma ação bacteriana resultante da decomposição de matéria orgânica. Ela é mais frequentemente encontrada em rios poluídos e estação de tratamento de esgoto", explicou o diretor técnico do IMA, Ricardo César Barros de Oliveira..
Segundo ele, toda a área de entorno da residência está contaminada, não sendo descartada a possibilidade da ocorrência de novos aquecimentos em outras moradias. Diante disso, o IMA vai encaminhar à Prefeitura Municipal uma recomendação para a instalação de canos que facilitem a dispersão do gás acumulado no solo, além de uma obra de saneamento básico em toda região para conter o vazamento de esgotos e fossas.
Os técnicos do IMA voltarão à residência na próxima segunda-feira (23), para a coleta de novas amostras do solo e da água, que também apresentou índice de contaminação.
Na última sexta-feira (13), equipes do Corpo de Bombeiros, do IMA, Defesa Civil Municipal e funcionários da Superintendência Municipal de Controle e Convívio Urbano (SMCCU) ficaram intrigados com o superaquecimento do piso da casa de propriedade de Ademir Pereira que, segundo ele, começou a elevar-se de forma misteriosa e chegou a atingir 80 graus.

Fonte:http://tudonahora.ne10.uol.com.br/noticia/maceio/2012/07/20/198103/contaminacao-do-solo-fez-piso-de-casa-aquecer-ate-80-c-em-maceio