•  
     

Com 'prazo de validade', Denis exalta Rogério e se vê mais experiente

Destaque do São Paulo contra o Palmeiras, com defesas que chamaram a atenção e evitaram um resultado pior para o Tricolor no clássico disputado na Arena Barueri, o goleiro Denis tem um “prazo de validade” na meta da equipe: com a recuperação do ídolo Rogério Ceni, que já treina normalmente, o atual titular deve perder a vaga daqui a menos de um mês. Mesmo assim, se garante focado em um único objetivo: deixar o Tricolor na ponta do Brasileirão.
– Procuro pensar jogo a jogo. O meu foco é no jogo de quarta-feira, que é o próximo. Não sei se ele (Rogério) volta no fim de semana, se vai voltar no meio da outra semana. Tenho de focar sempre no próximo jogo, para entregar o time para ele na melhor posição possível – afirmou.
Quinto colocado do Campeonato Brasileiro, com 16 pontos, o São Paulo enfrenta o Vasco, vice-líder da competição, com 20 pontos, na quarta, às 21h50m, no estádio do Morumbi. O retrospecto tricolor jogando dentro de seus domínios é impecável: quatro vitórias em quatro jogos, e apenas um gol sofrido.
Embora se cogite a possibilidade do retorno de Ceni contra o Flamengo, no dia 29, pela 13ª rodada do torneio, a comissão técnica, agora comandada por Ney Franco, não fala sobre o assunto. Mesmo na iminência de não ser mais titular, Denis vê o experiente companheiro, de 39 anos, já em boas condições de assumir a vaga.
– O Rogério tem o espaço dele aqui dentro. Já está treinando em campo, está bem, voltando à sua melhor forma física. Tenho certeza de que logo ele vai estar dentro de campo – completou.
Com 63 jogos pelo São Paulo no total, Denis já ocupou a meta são-paulina em 39 oportunidades nesta temporada. Contratado da Ponte Preta, clube que o revelou para o futebol, o goleiro estreou em 2009 pelo clube do Morumbi. Autocrítico, ele se vê bastante evoluído em relação aos últimos anos: responsabilidade, em boa parte, dos jogos subsequentes em que atuou como titular.
– Eu melhorei dentro de campo, o entrosamento com a equipe. O ritmo de jogo, para um goleiro, é muito importante. Tive uma maior sequência de jogos e hoje sou um goleiro diferente daquele de três anos e meio atrás, que estreou contra a Portuguesa. Estou bem mais experiente – analisou.