•  
     

Cachorro protege homem, leva sete tiros e sobrevive no Ceará

Imagem

Um cachorro da raça pit-bull sobreviveu após levar sete tiros em uma casa na Praia da Tabuba, no Ceará e agora precisa ser adotado. Apelidado de Hulk, o animal estava na casa invadida por uma quadrilha que disparou e matou dois torcedores que participavam de uma festa de aniversário no dia 25 de maio último. “Só não mataram um outro rapaz porque ele [Hulk] o protegeu”, disse a vizinha que ajudou no resgate do cachorro e acompanha o cão, que está em uma clínica, mas não tem lugar definitivo para ficar.

Casada com um policial civil, a mulher conta que o marido foi escalado para trabalhar no caso no dia seguinte aos assassinatos, em 26 de maio. “Ele encontrou o cachorro ainda lá, todos achavam que estava morto. Ele [Hulk] ficou das 22h até 10h lá, sangrando”, contou a vizinha que trabalha voluntariamente com resgate de animais. Ela afirma que o marido tentou localizar o dono do animal, mas desistiu da busca ao descobrir que o animal seria “descartado”.

“Ele ouviu que o cachorro seria entregue ao churrasqueiro como parte do pagamento. Nós achamos que o dono não vai mais aparecer porque ele [cachorro] está com um policial. E soubemos que esse pessoal costuma criar esses animais para proteção, era descartável”, disse a vizinha que decidiu ajudar o animal. Hulk foi levado a um veterinário e, na segunda-feira (11), passou por uma cirurgia na pata esquerda. Ele teve de pôr pinos porque uma das balas atingiu o osso.

“Os estilhaços também causaram muitos danos. Ele pode perder a pata", contou a voluntária. Agora, a ela e o marido procuram alguém que possam adotar Hulk e ajudar nas despesas, o casal disse não ter condições de ficar com o animal nem de pagar o tratamento. “Por enquanto temos deixado algumas coisas penduradas [sem pagamento], esperamos que alguém se compadeça e ajude. Ele é um animal muito dócil e está se recuperando”, disse.

Imagem