•  
     

"Apaixonado" por futebol, Messi diz ser motivado pela diversão em campo

Imagem
Messi diz irá se aposentar no dia em que não vir mais diversão no futebol


Eleito o melhor do mundo nos últimos três anos e, com apenas 24 anos, colocado por alguns no mesmo patamar de Pelé e Diego Maradona, o argentino Lionel Messi concedeu entrevista ao jornal britânico "The Times" na qual falou sobre a família, a vida em Barcelona e afirmou que pendurará as chuteiras quando deixar de se divertir em campo.

"O futebol é um jogo. Eu tento me divertir em campo, jogar, sempre. É por isso jogo. No dia em que deixe de me divertir, me aposento. Não quero perder essa energia, é minha paixão", afirmou o camisa 10 do Barcelona e da seleção argentina em entrevista publicada neste sábado.

Messi abordou também uma discussão antiga ao criticar o futebol jogado atualmente, afirmando que a maioria dos times e das seleções se preocupa mais em vencer que em dar espetáculo.

"Hoje as equipes jogam de forma estática, mais focadas no resultado final que em produzir um bom futebol. Para eles, ganhar é mais importante que jogar bem", considerou o argentino, que completou dizendo que também houve uma diminuição do amor a camisa: "Pelo bem do futebol, precisamos de mais jogadores com paixão".

Campeão pelo menos uma vez de todos os torneios que disputou com o Barcelona, Messi se disse realizado no clube, mas ressaltou que ainda tem muito a fazer com a camisa azul-grená.

"Estou jogando em uma das melhores equipes da história. Estou muito agradecido por tudo que a vida me deu até agora, por tudo o que pude conquistar, pela família que tenho, pelas pessoas que me rodeiam. Mas ainda quero crescer e amadurecer como pessoa. Ainda tenho muito o que aprender", declarou.

"The Times", que comentou que Messi fala em voz baixa com um forte sotaque argentino, destacou a simplicidade e a vida familiar que o jogador leva em Barcelona.

O jornal conversou também com várias pessoas que conhecem o argentino, entre elas o técnico Josep Guardiola, que dirigiu o time catalão nas últimas quatro temporadas.

"Os superlativos se esgotaram há muito tempo. Não escreva sobre ele, não tente descrevê-lo, apenas admire-o", disse Guardiola, mostrando encantamento com aquele que foi determinante na conquista de 14 títulos em 18 disputados pelo Barça.