•  
     

Ana Maria Braga e TV Globo são condenadas a pagar R$150 mil a juíza por danos morais

Imagem
A apresentadora Ana Maria Braga e a TV Globo foram condenadas a pagar uma indenização de R$ 150 mil a juíza Luciana Viveiro Seabra por danos morais. Em 20 de novembro de 2007, durante a exibição do "Mais Você", Ana Maria criticou a decisão de Luciana, que pôs em liberdade Jilmar Leandro da Silva, preso por manter refém e agredir a namorada, Evellyn Ferreira Amorim. Assim que foi solto, o rapaz sequestrou a jovem novamente, a matou e se suicidou em sequência.
No programa, a apresentadora afirmou que a morte de Evellyn estava anunciada: "Ele tinha sequestrado a jovem há menos de seis meses. Então a juíza (Luciana) falou: ele tem bom comportamento". Logo depois, Ana Maria chamou atenção para a responsável pelo caso: "Eu quero falar o nome dessa juíza para a gente prestar atenção. Ela, ela, a juíza é Luciana Viveiro Seabra".

A decisão, que correu na Justiça de São Paulo no último dia 29 de maio, foi unânime e partiu dos desembargadores Luís Francisco Aguilar Cortez, José Joaquim dos Santos e Neves Amorim. Procurada pelo UOL, a assessoria da TV Globo disse que a emissora não se manifesta sobre ações judiciais em curso. O advogado da Globo, Luiz de Camargo Aranha Neto, não retornou as ligações.

A emissora e o apresentador Fausto Silva também foram condenados a indenizar a consultora de moda Ana Lucia Zambon, no valor de R$ 40 mil, por uma ofensa no "Domingão do Faustão". Durante o programa, o apresentador chamou Ana Lucia de "Gisele Bucho", numa comparação com a modelo Gisele Bündchen.