•  
     

Aeroviários fazem protesto contra decisão da Justiça

Um grupo de manifestantes ligados ao Sindicato Nacional dos Aeroviários fez um protesto nesta quinta-feira em quatro aeroportos do País. Eles não aceitam a decisão da Justiça, que impediu a greve dos funcionários das empresas aéreas e determinou que 80% dos trabalhadores cumprissem suas funções, sob pena de multas pesadas às companhias.
A presidente do sindicato, Selma Balbino, afirmou que o movimento foi realizado nos aeroportos do Galeão (Rio de Janeiro), Confins (Belo Horizonte), Salvador e Brasília. "Muitos trabalhadores fizeram as suas jornadas e se juntaram à manifestação depois", disse Balbino. A Infraero confirmou a manifestação e disse que os aeroportos funcionaram normalmente nesta quinta-feira.
Greve
Os sindicatos do setor aéreo civil confirmaram que iam entrar em greve em todo o País a partir das 6h de hoje após terminarem em impasse as negociações por ajuste salarial com as companhias aéreas. A paralisação incluiria aeronautas (pilotos, comissários e mecânicos de voo) e aeroviários, que trabalham em terra, nos aeroportos.
Porém, o presidente do Tribunal Superior do Trabalho (TST), ministro Milton de Moura França, concedeu uma liminar ontem e divulgou uma nota à imprensa determinando que sejam mantidos em atividade 80% do efetivo dos aeronautas e aeroviários, de forma a viabilizar o transporte aéreo em todo o território nacional no período compreendido entre 23 de dezembro de 2010 e 2 de janeiro de 2011.
Além disso, ele fixou multa diária de R$ 100 mil em caso de descumprimento da ordem. A liminar atende ação cautelar preparatória de dissídio de greve, movida procurador-geral do Trabalho, Otávio Brito Lopes.
O presidente Luiz Inácio Lula da Silva reconheceu o direito de greve dos trabalhadores, mas ressaltou que a população não pode ser prejudicada. "Espero que os brasileiros não sejam vítimas da insensatez. O que não pode é uma atitude de irresponsabilidade que leve o povo a sofrer", afirmou Lula.

FNt: Terra