•  
     

Acidente entre micro-ônibus e caminhão mata mais de dez pessoas

Tragédia ocorreu em Manaus; grávida e bebê estão entre vítimas.
Polícia e bombeiros afirmam que número de mortos pode aumentar.


1.jpg


Um micro-ônibus e um caminhão bateram de frente por volta das 19h40 desta sexta-feira (28), na Avenida Djalma Batista, na Zona Centro-Sul de Manaus. Segundo informações do IML, até as 02h00 de sábado (29), foram confirmadas a morte de 14 pessoas, entre elas os motoristas dos dois veículos, uma criança e uma grávida. O caminhão prestava serviços para a Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf). A prefeitura decretou luto oficial de três dias na capital.

2.jpg


De acordo com informações da polícia e de testemunhas, o caminhão trafegava no sentido bairro-centro quando perdeu o controle, atravessou o meio-fio e invadiu a contramão, batendo de frente com o coletivo, que fazia a linha 825 (Redenção-Bairro da Paz). Testemunhas disseram ainda que o micro-ônibus estava lotado e muitos passageiros estavam em pé no interior do veículo.
O eletricista Pablo Pessoa, de 23 anos, estava saindo de uma faculdade localizada em frente ao local do acidente e viu a colisão. "Vi uma S-10 [picape] vindo em alta velocidade. O motorista da S-10, que estava atrás da caçamba [caminhão], conseguiu passar dela. Ele disse que o motorista da caçamba estava em alta velocidade como se não tivesse conseguindo freiar. O motorista parou e veio falando 'esse cara tá doido, queria me bater'. Ele estava a 100 km por hora. Um passageiro chegou a sair pela janela e eu cheguei a socorrer, coloquei ele na calçada", disse.


3.jpg


Universitários que saíam de uma faculdade e funcionários de um posto de combustíveis ajudaram as vítimas. Segundo a frentista Tatiane Farai, o coletivo estava lotado. "O trânsito estava fluindo normalmente e tinha muitos passageiros no micro-ônibus. Muita gente ferida. Uma tragédia", disse ao G1.
Parto
Uma grávida estava no micro-ônibus. Ela morreu no local do acidente, segundo os bombeiros. Médicos chegaram a fazer o parto da criança, mas ela também não sobreviveu. De acordo com o coordenador do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), Enzo Monteiro, as vítimas foram levadas para hospitais na capital. "Dez pessoas foram para o Hospital Pronto-Socorro 28 de agosto, seis para João Lúcio e quatro para SPAs do entorno", explicou.


4.jpg


Seis viaturas do Corpo de Bombeiros, 13 da Polícia Militar e 15 do Samu atenderam a ocorrência.
O vice-prefeito de Manaus, Hissa Abraão, foi ao local do acidente e anunciou luto oficial na capital. "Manaus vai decretar luto oficial de três dias. É prematuro apontar de quem foi o equívoco. Não sabemos se o motorista da caçamba teve uma morte súbita ao volante. Não há marcas de freio do outro lado da rua", disse Hissa Abrahão.
Anexos
4.jpg