•  
     

A Arte de colar em provas. (1° Partt')

A Arte de colar em provas.
Por Antonio Fernandes

A arte milenar de trapacear em testes escritos data desde que existem testes escritos, afinal, seres humanos sempre darão um jeito de executar filhasdaputagem onde quer que estejam e no que quer que façam. Esta é uma das leis primordiais que regem o universo.

Muito já se fez contra esse tipo de trapaça. Em geral as provas nas escolas de hoje são recolhidas ao menor sinal da dita "cola". Em testes regidos pelo governo, a cola é taxada como crime previsto em lei, e pode resultar em multas pesadas e até cadeia.

Vários nomes já se foram dados, várias pessoas já se deram mal por isso, mas, naturalmente, uma quantidade desconhecida (já que não foram pegas) já se deu bem, e ao que tudo indica, essa quantidade é bastante elevada.

Nesse post, vou me dedicar a explicar os variados tipos de colas existentes, suas chances de darem certo e suas chances de darem errado.

Caso você seja um aluno de alguma escola, ou pretende passar em algum concurso, ENEM, vestibular ou qualquer teste de faculdade, e pretenda usar esse tipo de coisa, lembre-se que é sempre mais seguro estudar e responder corretamente que tentar trapacear. Mas se não houver outro jeito, ou se você estiver decidido a isso, divirta-se. Não sou responsável pelo mau uso de nada que estiver escrito aqui, afinal, conhecimento não é crime.


Pois bem, vamos começar.


Primeira Parte

colando com papéis


E se o professor mandar tirar a camisa?


Esse é o tipo de cola mais tradicional que existe. A idéia aqui é anotar informações básicas que você precisará para o teste, preferencialmente de forma simples e resumida. É muito útil em provas do tipo exatas, como física, quimica, biologia em alguns casos, e é claro, matemática, já que geralmente a medida que se avança nas séries (ou períodos, no caso de faculdade), as quantidades de formulas a serem decoradas aumenta. Em provas do tipo humanas, tente colocar palavras-chave, desenhos que te lembrem algo que o professor falou em sala, coisas do tipo.

A principal arte contida na cola com papéis está no ato de esconde-la bem. Nos casos de folhas grandes, deixa-la abaixo da sua prova em questão é quase regra, já que você poderá movimentar sua prova mais para o alto da carteira, e puxar a cola por cima, ou deixar a prova baixa, assentar meio "deitado" na carteira, e puxar a cola por baixo, nos dois casos, você irá obstruir a visão do professor, te dando chance de conferir suas anotações e resolver a questão.

Com papéis pequenos, mais úteis quando se tem formulas matemáticas, existem milhões de alternativas para esconde-las. Lembre-se de camufla-las sempre no lugar mais próximo das suas mãos possível, um lugar "ideal" seria na pulseira do relógio, tampa da caneta, dentro do sutiã, etcs. Na falta dessas opções, os lugares mais tradicionais são recomendados, de preferência lugares onde o professor não poderá revistar. Cuecas, calcinhas, dentro do sutiã, no caso das mulheres, etcs.

Para passar colas de papéis, também é necessária criatividade. Evite sempre simplesmente jogar o papel para a carteira detrás, ou passa-la por cima do ombro do seu colega. executar ações bruscas dentro da sala atrai a atenção do professor, e te dá mais chances de ser pego.
Uma tática que cheguei a usar algumas vezes, é colocar a cola dentro da tampa de uma caneta, e quando vou termino a prova, digo que vou "devolve-la" ao meu colega. Isso funciona perfeitamente com provas do tipo fechadas, e a chance de dar certo é de quase 100%, além de que, caso seu amigo seja pego com o papel da cola, não vão poder encriminar quem passou a dita cuja, já que não há nada que ligue os dois.

O que não fazer ou evitar.

Não coloque a cola nos seus pés, dentro de meias ou tênis, tira-la dali vai ser tarefa de James Bond.
Cuidado ao colocar sua cola entre as pernas logo na carteira, se o professor te mandar levantar, fudeu. Caso seja nescessário, ponha a mão sobre o rosto como se estivesse pensando, mais ou menos na altura dos olhos, isso obstrui a visão do professor, e ele não poderá saber onde você está olhando.

Por que não colar com papéis

Papéis são uma prova física e incontestável de que você tentou colar. Eles não te dão a chance de dar desculpas ou sumir com eles caso você tenha "rodado." Ser pego colando com papéis é simplesmente o fim, rodou. You Lose.


-


Colando com celulares


Simples, prático e eficaz.


A tecnologia trouxe benefícios de várias formas, e um deles é o de ajudar a trapacear. As colas com celulares são mais recomendadas, já que as mensagens ou textos são facilmente apagáveis, além de que você sempre terá a desculpa ingênua de que "só estava olhando as horas."

Além disso, colar com celular te dá oportunidade de não só fazer colas individuais ou de dupla, mas de executar grandes colas, como fileiras inteiras de alunos, ou até mesmo a turma inteira.

A primeira regra ao se colar com celular é:

"Coloque seu celular no silencioso"


Motivo mais que óbvio. Se a idéia de colar é não chamar a atenção, ter um jingle tocando a cada vez que você envia ou recebe uma resposta vai com certeza chamar a atenção, e você vai rodar.

Não tente também fazer ligações no meio da prova, isso é pedir pra se fuder.

Aparte isso, lembre-se de sempre deixar as mensagens pré-programadas. Colar com celular não é recomendado em provas abertas, já que digitar leva tempo, e a idéia é agilidade de discrição. Coloque todos os contatos que vai enviar antes, caso precise, informações como "tipo da prova: B" ou coisas do tipo antes, tudo armado, para que só seja preciso digitar "Tipo C / B C C A D A B B C A - Enviar".

Como celulares são comuns, eles são fáceis de "esconder", já que afinal, você nem o está realmente escondendo, já que quase todas as pessoas andam com o celular no bolso. Mas caso queira deixa-lo num lugar de fácil acesso, usar uma blusa de manga comprida ou moleton te dá a oportunidade de coloca-lo na magna. Tome apenas cuidado para não ficar muito exposto.

Colando com objetos diversos


"My name is Bond. James Bond."


Camuflar sua cola em objetos aparentemente inofensivos, além dos celulares, é prático. Fones de ouvido podem ser colocados escondidos em moletons, ou até mesmo de modo natural, como se fossem uma música qualquer. Grave sua cola, e bon apetit.
Existem canetas que "apagam". Caso sua prova seja gabaritada. Faze-la com uma caneta apagável, e depois rasurar algumas questões e muda-las, para reclamar com o professor depois, é prático. Cuidado para não fazer isso constantemente, senão eles podem, naturalmente, desconfiar.
Existem réguas que possuem "tabuadas", "fórmulas de física" ou coisas do tipo inscritas nelas. Deixe a parte que te ajudará da régua voltada para baixo na carteira, e consulte-a periodicamente, observando para não chamar a atenção do professor.
Canetas invisíveis são práticas. No caso das colas com papéis, o professor te verá fazendo consulta, mas ao flagrar você no ato, sempre poderá dizer que deixou o papel ali para anotar o gabarito depois, se ele disser que não pode, amasse a folha e entregue pra ele, e só. Também é possível escrever com caneta invisível no braço, na carteira, etcs etcs etcs.

Escrevendo em carteiras e fazendo "esquemas"


Tai. A Arma do crime.


O grande perigo que há em escrever nas carteiras, é que elas também são provas incontestáveis de que você estava colando.
Naturalmente, existem atitudes simples que camuflam o ato desta cola.
A primeira é a que acabei de citar acima. Caneta invisível é o jeito mais fácil de se proteger, já que passando a mão ela desaparece, e o professor terá dificuldade em descobri-la.
Outra questão prática é fazer a cola nas "costas" da cadeira da pessoa a frente. Raramente professores conferem esse lugar.
Caso seja preciso escrever na carteira em sí, de preferencia para escrever em baixo da sua prova, e se lembre de apagar tudo no fim.

Os esquemas são de total criatividade. Alguns perigosos e outros não. Um colega meu executa um simples. Ele coloca o nome do outro na prova dele, e o outro coloca o nome dele. Um faz a prova do outro, e aquele que tem pontos de sobra vai mau, e o que precisa de pontos vai bem. É difícil de achar uma situação boa para esse tipo de cola, mas ela é bem prática e simples. Evite apenas deixar sua caligrafia clara demais como sua. Caso o professor te conheça, e tenha muitas aulas com você, como professores de português, ele pode perceber o ato, e zerar a prova dos dois.


Conversando com colegas

Continuação - A Arte de Colar em Provas (2° Partt')